Simples poeta sou
loucura se mistura ao amor
terror se alimentar da dor
melhor seria morrer...

Poeta fugidia
esconde sem pudor
orgia da alma impura
nos versos
agoniza
sonha
enlouquece
finge...

Poemas arrancados das vísceras
surgem do universo transcendental
onde tudo pode ser e ter
vem do ser e não ser
mata o ódio com o fel
alegria com o amor...

Estampa metáforas emolduradas
pelas formosas flores do jardim
o que vê são pântanos medonhos
peçonha que adoece seu viver.

Louca, loucura sim
de noites amaldiçoadas
frieza e dias sombrios
águas turvas
imagem sem reflexo
anverso do querer
cataclismo...

Metáfora agora é morte
não há molduras nem reflexões
impedindo sua certeza
a única que tenho.

Fingidor poeta louco
tempo foi embora
volta ao seu mundo
deixe todos em paz!

Ligi@Tomarchio®


Música: ebbtide.mid

 

Editado por Ligi@Tomarchio®

Gráficos e Formatação:Crys