Rosy Beltrão

 Imortal

 Mesmo depois de tanto tempo...
Mesmo que a distância nos separe...
Ainda sinto seu cheiro
o gosto de seu beijo.
Pode o mundo girar,
o sol nascer e se pôr
quantas vezes forem necessárias...
Eu ainda te amo.
Como é estranho...
Os saltos que a vida nos faz dar
Os assaltos que o coração dá,
não há tempo que consiga apagar.
Quando penso em você,
lembro e sinto seu "eu" perto de mim.
Se não é possível agora...
Acredito: Amor não tem hora.
E em um momento qualquer
a hora exata, o tempo
o destino nos fará juntos.
Com o mesmo sentimento:
sem amarras
sejam quais forem nossos grilhões,
apenas nossos corações a pulsar
porque o outro existe e,
ambos sabemos da reciprocidade
desse Amor, que não tem idade.
É atemporal, por isso...Imortal!

 

 Mar Aberto

Em mar aberto
de águas calmas
ou revoltas,
nado contra e a favor
das marés que a vida traz.
Entre uma onda e outra,
respiro.
Quando o frio
de gélidas águas
me alcançam
me aqueço
no coração do homem que eu amo.
No sol escaldante
me refresco sob o prisma
de meus sonhos
na busca de meus,
mais que reais, ideais.
Assim, ora solitária
ora acompanhada,
navego.
Assim como,
de transparentes e límpidas águas,
tenho tentado fazer
desse imenso e incomensurável mar aberto,
que é a minha vida.

 

A Procura do Ninho

Pássaro solitário, perdido do seu bando.
Voa sem destino,
delirante, desvairado, sem rumo.
Cansado, abatido,
sedento... mergulha,
perdido no vento.
Desce verticalmente,
sem se importar onde vai dar.
(Por pouco não se estatela no chão)
Encontra um charco, bebe água, sacia sua sede,
E chora...
Chora de saudades.
Saudades do que não conhece,
do que nunca viu
Mas, percebe presente, sente,entende.
Tem certeza que existe!
Mesmo que não o tenha visto,
por um segundo sequer.
Não é como um qualquer. Ele sabe...
Sabe que está lá.
Sua alma lhe diz.
(Pobrezinho, está tão infeliz.)
Mas num rompante, altivo e orgulhoso
Seu coração dispara.
Pensa alto: porque não?
Chega de aflição, de martírio, mortificação!
Redobradas forças,
seiva de suas entranhas.
Alça vôo, tão breve como o pensamento
Suas asas arremetem-se,
batendo velozmente,
Enxuga seu pranto,
voa como que por encanto.
Não sabe de onde vem,
a força que o mantém.
Já sabe seu caminho.
Seu coração lhe diz,
Passou de aprendiz,
voa feliz.
Pensamento risonho,
não mais tristonho.
Qual alma de curumim,
voa,voa
na noite sem fim.

 

http://www.clips-poemas.com/autores/rb.htm

 

Música: Bachianas, de Villa Lobos

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®