Rivkah

Sou Rivkah,
Rivkah na Itália é Regina e na França, Rejane.
Geminiana, de Ascendente em Gêmeos também,
uma pessoa muito voltada a tudo na vida.
Fiz Ciências Sociais, mas gosto muito do Estudo Esotérico.
Estudei sobre BhavaChakra, Arqueômetro e a Kabalah.
Meu interesse é pela evolução do espírito,
pois acho que estamos aqui para crescer espiritualmente.
Como boa geminiana que sou, amo duas Pátrias,
o Brasil e Israel e pertenço aos dois.
Já fiz de tudo, ou quase tudo, nesta vida e vivi
intensamente cada função por mim exercida,
mas sempre me faltava algo,
sentia que existia uma lacuna que nada preenchia.
Só quando deixei os Cargos e Funções é que me dediquei
aos meus escritos e nenhum dos cargos que já tive me deu saudade.
Tive oportunidade sim, de conhecer muita gente,
mas todas muito heterogênicas, reações distintas,
pessoas interessantes, pessoas detestáveis,
mas quando optei em definitivo para os Escritores aí sim,
foi um alívio poder estar só com pessoas sensíveis.
Moro em Brasília, há quem a critique,
pois não sabe compreendê-la,
mas Brasília não é só o Governo que aqui está sediado.
Brasília é a confluência do Brasil, mas além de tudo,
seus habitantes. É a feliz visão de Don Bosco.
É justamente desse maravilhoso lugar que avisto o mundo e daqui escrevo.

Pela estrada da vida

No decorrer da vida passamos por tantas almas...
Encontramos pessoas amigas,
pessoas tranqüilas, pessoas complicadas,
pessoas sofridas, pessoas amadas.

É sempre um aprendizado em cada relação.
Existem pessoas que são negativas,
que se nutrem da escuridão,
mas existem outras que são só luz,
pessoas abençoadas, felizes, positivas.

Quando você acha que já viu de tudo,
lá vem mais desilusão!
Mais um aprendizado, mais uma lição.

Percebi que depende da dor o crescimento,
nunca vi uma pessoa aprender rindo!
Quase nunca numa festa se apresenta o ensinamento,
mas na labuta, na mágoa, se ferindo!

Assim você vai pela estrada da vida,
ora ensinando, ora aprendendo,
ora se decepcionando, ora se surpreendendo,
é uma estrada às vezes árida, outras vezes bem florida.

Hoje aprendi mais um pouquinho,
não foi uma grande ferida... foi uma feridinha.
Mas foi mais uma dor, mais uma ausência de carinho
e num mundo com tanta gente... me senti sozinha...

 

Senhor!

Desde que o mundo é mundo
que sempre é questionado,
muitas vezes depois de um sofrimento profundo,
num ato até tresloucado:
O que viemos fazer neste mundo?!

Eu sei que não há o que questionar
que estamos aqui para aprender a amar,
disso eu não duvido!
Mas às vezes é tão difícil comungar
ainda mais quando se tem sofrido!

Será que o Senhor não se importa
de em algum momento nos mostrar a porta
de caminhos menos doridos?

Quem sabe se pode encontrar
uma forma de se amar
antes que todos estejam feridos?!

Enquanto esse caminho não vislumbrar
vou fazer tudo para abrigar
em meu coração, o inimigo.

 

Viagem para dentro de mim

Descubro um ponto que ficou amortecido.
Quem sabe bloqueado,
abafado e esquecido?
Preciso colocar luz neste ponto!
Preciso descobrir porque doeu tanto,
mas no momento não encontro,
quem possa dar a mão para mim!
Quem sabe eu sozinha é que vou encontrar
uma forma de me ajudar
e tirar este emaranhado de dentro de mim?
Talvez compreendendo eu desfaça.
Quem sabe se só assim eu renasça
com essa viagem para dentro de mim?

 

http://www.rivkah.com.br/indice.htm

Israel/Brasil

 

Música: Schindler List

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®