Padre Luis Rogério Carrilho Cruz


Biografia de
Padre Luis Rogério Carrilho Cruz, CSsR

Enquanto o Estado da Guanabara era a capital da República, o Distrito Federal, no dia 23 de maio de 1950, nasce no bairro do Méier, sob o choro de uma mãe enlutada pela perda de sua própria mãe, o menino Luis Rogério Carrilho Cruz. Filho de +José de Oliveria Cruz e Ondina de Aquino Carrilho Cruz, o 5º dos 12 filhos do casal. Dos quais, somos só 10 vivos, sendo os nove irmãos e irmãs já casados, com filhos e netos.
Desde criança sentia a atração pelas coisas de Deus. Enquanto criança, já imitava o padre nos gestos rituais da missa, e brincando com minha irmã mais nova, fazia-me de padre batizando suas bonecas.
Ao 14 anos entrei no Seminário Redentorista Santo Afonso em Aparecida- SP, no dia 03 de fevereiro de 1965. Foram 5 anos de estudos no ginasial e colegial. Em 1970 fui para o Seminário São Geraldo na atual cidade do Potim-SP, onde fiz o Noviciado Redentorista. Ao final do qual em 1971 emiti, no dia 02 de Fevereiro, os meus primeiros votos dentro da Congregação Redentorista. E logo em seguida seguimos para São Paulo-SP, no km. 20 da Raposo Tavares para dar inicio aos estudos de Filosofia e Teologia.
Nos albores de 1973, vendemos nosso prédio o Alfonsianum e fomos para São Paulo, no Bairro do Ipiranga a fim de terminar a filosofia e dar inicio a Teologia no ano seguinte, no, então, fundado recentemente, ITESP (Instituto Teológico São Paulo). Entidade mantida pelas Congregações Redentorista, Carlista e Verbita.
Em 1976, interrompi meus estudos de teologia, e fui fazer um estágio pastoral, na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição no Realengo, subúrbio do Rio de Janeiro, morando, com o, então, pároco Pe. José Palmeira Lessa, hoje Arcebispo de Aracaju - SE. Foi um ano de experiência profunda de Deus, contato com as favelas e uma vida espiritual muito intensa com o pároco. Foi uma experiência, que norteou sempre os meus caminhos como padre, mais tarde.
Em 1978, no dia 01 de Agosto emiti os meus votos perpétuos, de pobreza, castidade, obediência e perseverança, dentro da Congregação Redentorista, na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Jardim Paulistano - SP; e logo em seguida no dia 05 do mesmo mês, fui Ordenado diácono na vila Livieiro em SP. pelas mãos do nosso ex superior Geral, Dom Tarcísio Ariovaldo Amaral, já falecido.
Neste período terminando o 4 ano de teologia, fazia estágio em Aparecida como Diácono, nos finais de semana. No inicio de 1979 fui como diácono para Garça interior de São Paulo, onde trabalhei por um ano, primeiro como diácono, depois como Sacerdote, a partir do dia 29 de abril, quando fui ordenado na cidade de São Gonçalo - RJ., na Igreja de São Pedro de Alcântara, pela imposição das mãos de Dom José Rodrigues de Souza, então Bispo de Juazeiro-BA, hoje bispo Emérito. E celebrando a minha primeira missa na Capelinha do então Patronato, que o meu pai havia construído, e onde ele e minha mãe se casaram, sendo o primeiro casamento daquela Capela, hoje Matriz de Nossa Senhora Aparecida.
Depois de um ano em Garça, na Paróquia de São Pedro Apóstolo, fui transferido para a cidade de Sacramento - MG. Onde tínhamos uma paróquia e um seminário menor. Trabalhei por um ano no Seminário, e depois fui nomeado Pároco de Sacramento, por três anos. Ao final deste em 1985 fundei a Fundação Nossa Senhora do Patrocínio do Santíssimo Sacramento, e através da qual comprei a Rádio Sacramento, sendo o primeiro Diretor Geral desta Rádio que na época tinha a potência de 1000 kw., hoje graças a Deus já está com 5000 kw.
No inicio de 1986 fui transferido para Aparecida, para trabalhar no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, por um ano. Depois em 87 fui para a Paróquia e Aparecida, por onde fiquei 4 anos muito bem vividos. Sempre nestes períodos dando assistência aos jovens. E já em Aparecida, dando assistências nas horas vagas na Fazenda da Esperança, Obra Social Nossa Senhora da Glória, trabalhando com os jovens drogados e alcoolizados. Realizamos neste quatro anos na Paróquia de Aparecida, um projeto de evangelização na Pastoral da Crisma partindo do próprio grupo de jovens da paróquia, como catequistas, diferente dos demais processos pedagógicos até então realizados, envolvendo os jovens no seu próprio processo de evangelização, foram anos maravilhosos, neste primeiro ano realizamos a Crisma de 700 jovens de toda a cidade no Santuário Nacional, num evento fantástico, jamais realizado antes.
Neste período ainda, trabalhamos com as 14 escolas de Aparecida, realizando a páscoa dos estudantes, com 3000 alunos, envolvendo desde os diretores (as) aos professores (as) e alunos (as), ajudado por um grupo de professores aposentados. Assumi em 1990 a Paróquia de Aparecida, na qualidade de Administrador Paroquial, até as novas transferências em 1991. Quando fui novamente transferido para o Santuário de NSA.
Em março de 1991 tive a oportunidade de ir a Roma participar de um Congresso Internacional de Paróquias do Movimento dos Focolares, e conhecer as fontes de nossa Congregação, na cidade de Nápoles, e pude visitar a cidade santuário de Medjgorje, Assis, Áustria, e Alemanha, entre outras coisas. Foi uma viagem fantástica, onde pude estar acompanhado de minha mãe Ondina Carrilho e Luiza, a sogra de minha irmã, . A própria experiência no Santuário foi maravilhosa. Mais uma vez só fiquei um ano aqui no Santuário e fui para o Seminário Redentorista Sto. Afonso para coordenar a Pastoral Vocacional da Província Redentorista de São Paulo. Cargo que fiquei por 4 anos. Em meados de 1995 fui para Itália, aonde fiz, na Cidadela de Loppiano uma experiência de comunidade com mais 25 padres de 11 nacionalidades diferentes e de 16 congregações num curso de Espiritualidade, dentro do Carisma da Unidade, do Movimento dos Focolares. Onde trabalhei como padre operário, numa fábrica de montagem de artigos para quartos de criança. Foi um ano de experiência, fantástico, maravilhoso.
Retornei ao Brasil, não antes de fazer uma viagem a Terra Santa, e trabalhei por alguns meses no Santuário em Aparecida. Depois, no mesmo ano de 96 em outubro fui para Panorama, aonde pude trabalhar também com os Sem Terra MST, em Paulicéia, desenvolvendo com eles todo um trabalho de evangelização, dentro da luta deles pela terra.
Em Abril de 97 retornei para Roma aonde pude trabalhar como Missionário no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, onde se encontra o quadro original que foi entregue aos Redentoristas em 1866 pelo Papa Pio IX. Outra experiência maravilhosa, pois também pude dar assistência espiritual a um grupo de brasileiros que residiam em Roma, desenvolvendo a novena Perpétua de NSPS., além de dar assistência à comunidade italiana da terceira idade que ali freqüenta.
Em 1998 retornei para o Brasil, mais uma vez para o Santuário Nacional, em Aparecida, onde fiquei por dois anos, onde tive a oportunidade de comentar e celebrar várias vezes as missas televisivas pela Rede Vida. E na passagem para o ano 2000, novamente fui para Panorama - SP, para a nossa comunidade Missionária, onde atendíamos 5 comunidades-cidades. Das quais eu fiquei por 3 anos atendendo São João do Pau D'Alho, Nova Guataporanga, e o distrito de sta. Mercedes, Terra Nova D'Oeste. Pude reformar inteiramente as Igrejas locais, nestes anos, além de desenvolver toda a pastoral que com meus confrades e eu buscávamos fazer em sintonia com a Diocese de Marília.
Em 2003 fui transferido para São João da Boa Vista, como colaborador, pois não era paróquia ainda, e já no mês de Janeiro que cheguei fundei o grupo de jovens GUF. Esta Igreja, não paroquial, que é tida como santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, tornou-se depois, em 2004, em 13 de agosto, Paróquia Santuário de NSPS, e eu me tornei vice pároco, e depois em meados de 2005 Administrador Paroquial, neste período formamos algumas das pastorais que faltavam, como a pastoral do Batismo, e a Pastoral da Saúde.
Neste ano de 2006, fui transferido para Araraquara na Igreja de Santa Cruz, onde faço com outros 5 confrades o atendimento do povo, que busca aqui, o conforto espiritual pelo sacramento da reconciliação. E aqui estamos realizando o desígnio de Deus para mim, nesta porção do Reino de Deus.

01 de Agosto 2006
Festa de Santo Afonso Maria de Ligório.

 

Os primeiros tempos

Oh, quanto são belos os primeiros tempos!
Onde as flores se abrem numa primavera sem fim
Onde o ar baila por entre elas sem contratempos
Onde as músicas de notas em notas cantam em fim.

Onde o chilrear dos passarinhos soa sem parar
Onde o brilhar do sol, reluz sobre as montanhas
Onde as ondas sobem e descem na dança do mar
Onde as ondinas vão e vem cheias de tamanhas.

Oh, quanto são belos os primeiros tempos!
Onde o caminhar e o correr, sozinhos ou acompanhados,
Levam-nos a subir e a descer na sinfonia dos ventos
Na alegria do amor que flui dos corações enleados.

Onde, o suor do trabalho caem pelas mãos
Onde a terra fecunda o alimento do pão
Onde a família cresce na beleza de serem irmãos
Onde os sorrisos das crianças saem pelo vão.

Foram-se os tempos em que os olhos lacrimejavam
De emoção e alegria, de paz e harmonia.
Hoje choram, sem luz e sem pão em agonia.
Lágrimas que os primeiros tempos não tinham.

O que resta são as orações das mãos
Que cansadas não tiram do solo mais o pão,
E olham para o céu infinito buscando em vão o finito
Agora só nos resta dizer como Deus é Bendito.

 

O Sorriso de Deus

Caminha pela estrada da vida
Vê, repara e veja se não tenho razão
Quando se depara com o seu irmão
Encontrado pelo caminho na volta e na ida

Sem te conhecer, nem mesmo saber
Com os olhos e os lábios abertos te sorri
Quem és, quem ele é, é só um novo ser?
Não! É Deus que vem ao seu encontro e sorri.

É um jovem de 13 anos, paralítico, mas sorri
É um filho empurrado na cadeira de rodas, pela mãe, mas é feliz
É um ser humano onde a mente não funciona, mas sorri
É Deus se revelando, e me convidando para ser feliz.

Eu encontrei de Deus o Sorriso
Caminhando pelas estradas da vida
E por trás deste sorriso, uma mãe,qual, a de Deus,
Que ao levar seu filho a passear, ilumina o meu viso

Sua missão é caminhar, caminhar, levar
Sempre em sua carrocela o filho de Deus,
Aquele que do ventre veio imperfeito para dar
A todos os que passam o sorriso de Deus.

18/07/2006

 

OS OLHOS DE DEUS

É impressionante na vida esta realidade
Deus me vê e eu tinha medo
Não pode ver aquele que me vê com bondade?
Mas não, o temor era pela invasão da privacidade.

Pelas estradas da vida, encontrei um dia
Um jovem, surtado que a todos irradia
Um olhar tão lindo, transparente e ria
Que naquele olhar era Deus quem me via.

De repente, como que por encanto
Desaparece o medo que eu tinha a canto
De um Deus que sempre me via
E não mais por que a alma me invadia.

Percebi nos olhos daquele jovem surtado
O amor que vê para além de qualquer imaginação
Não a invasão de sua privacidade, mas, encantado
Com o reflexo que espelha em sua própria criação.

Olhar de, amor, misericórdia e ternura
Que invade a alma com tanta doçura
Transformando a gente num amor ardente
Que tira da alma qualquer temor que tiver em mente.

Obrigado, Senhor, pelo seu olhar de amor
Que ao penetrar através dele nos olhos meus
Infundiu em minha alma um tão grande ardor
Pela criatura em sua dor, pela beleza dos olhos Teus.

31 de julho de 2006

Clique para ler:
* Meus Versos
* Ao Artista dos Artistas

http://www.ondinacarrilhocruz.xpg.com.br/peluisrogeriocarrilhocruz.htm

 

 

Música: Noturno de Chopin, by Altamiro Carrilho

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®