Luis Carlos Mordegane

Nascido em São Bernardo do Campo - SP, casado, funcionário público municipal, escritor e poeta. Começou a escrever jovem ainda, porém, só atreveu-se a sair do anonimato no início de 2001 quando adentrou as veredas da poesia chegando aos contos e crônicas.
Seus escritos abrangem desde o social ao amor, sempre sob a ótica da cidadania consciente e do poeta romântico que é. Luís Carlos retrata o ergástulo d'alma com propriedade. Entende, que todo texto, tendo cunho social ou não, é formador de opinião e resgata valores morais, éticos e sociais.
Dentro de um mundo racional e capitalista, competitivo, os textos podem também resgatar a essência do amor. Luís Carlos Mordegane é membro do Movimento Poético Nacional e, Articulista da Comunidade Mayte, Cônsul de Poetas Del Mundo por São Bernardo do Campo, é também, autor de três livros impressos: Eu, Um Velho Menino; A Casa do Fim da Rua e A Magia Dos Rondeis de Um Velho Menino. Participou ainda de diversas antologias.


MÃE DE AMOR


Momento impar ao amamentar
Angelical a aura do seu ser
Esmero aos filhos cuidar

Divinal fonte de querer
Esteio de candura do lar

Amparo aos filhos no saber
Misericordiosa ao se doar
Orgulho de a prole conceber
Riqueza na arte amar

Luis Carlos Mordegane
Umvelhomenino

 

ANOS DE CHUMBO

Dia cinzento, nublado...
Poder de expressão,
do povo, cerceado.
Lembranças de um mundo cão.

Anos de terror plantado...
Fuzis comandavam a nação.
Poeta com verso mutilado
sem direito, sem voz, sem ação.

Artistas, cantores e poetas exilados,
são alijados de pisar neste chão.
Mas gritam os poetas inflamados:
Democracia e Liberdade de expressão!

Queremos em coro assim saldar nossa nação.
Viva a liberdade!
Viva a Poesia e a Canção!

Luis Carlos Mordegane
umvelhomenino
in essência da vida

 

AO POETA

Ah! Jamais escreveria somente por escrever!
Não deixaria minhas idéias e ideais assim se perderem
Como não viveria somente por viver...
Quero com meus versos ver as paixões arderem.
Sentindo os grilhões d’alma se romperem,
Faz o poeta no verso a ilusão do sonho acontecer.
Ah! Jamais escreveria somente por escrever.
Não deixaria minhas idéias e ideais assim se perderem!
Foi dado ao poeta o dom de a palavra tecer,
Fazendo nos corações muralhas cederem.
Tem ele nas suas mãos a pena do poder,
De versar, mesmo quando as lágrimas caírem.
Ah! Jamais escreveria somente por escrever!

Luís Carlos Mordegane
umvelhomenino
in A Magia dos Rondeis de Um Velho menino

 

Assim "Como a Poesia a Musica é a arte de revelar o Amor sob todas as formas..."LC Mordegane(umvelhomenino)


http://www.mordegane.com.br

 

 

Música: Suiten fur Violoncello Solo

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®