Lupércio Mundim

Péricles Lupércio Cavalcanti Mundim nasceu em 4 de novembro de 1946 em Taubaté - São Paulo, para onde seus pais, residentes em Ipameri - Goiás, foram para que ele nascesse próximo a sua avó, que ali passava uma temporada. Naquela época não havia hospitais nem recursos médicos em Ipameri.

Com menos de um mês de vida Lupércio, como é chamado por seus familiares e amigos, já estava em Ipameri, cidade que sempre amou e que recentemente, em 13 de dezembro de 2004, lhe homenageou, concedendo-lhe o título de Cidadão Honorário, através de decisão unânime de sua Câmara Municipal.

Lupércio estudou apenas dois anos em Ipameri, pois em 1954 seu pai, que era bancário, foi transferido para Goiânia, a Capital do Estado, onde terminou o curso primário no Colégio Assunção. Em 1959 seu pai foi novamente transferido para o Rio de Janeiro, naquela época Distrito Federal, onde terminou o segundo grau, cursando o ginásio no Externato Atlântico e o científico no Colégio São José, de Petrópolis, onde ficou em regime de internato de 1966 a 1969.

Em 1970 sua família retornou para Goiânia, onde Lupércio veio a cursar Direito na Faculdade Anhanguera de Ciências Humanas. Após a formatura Lupércio convidou seu colega de faculdade, Dr. Pedro Gomes Dourado, para juntos abrirem um escritório de advocacia no centro da cidade.

Em 1984 Lupércio teve seu primeiro contato com a informática, estudando programação Basic, Dbase e Cobol em um computador Apple II E, com monitor monocromático verde. Desde então tem procurado manter-se atualizado estudando diversas matérias em computadores modernos.

Em 1995 ele criou seu primeiro site, chama-se Visite o Brasil e era hospedado no servidor de hospedagem americano Geocities. Este site foi atualizado várias vezes e existe até hoje. Desde então Lupércio criou mais de sessenta sites pessoais e destes dezesseis continuam online e atualizados.

Lupércio começou a escrever poesias aos quinze anos, incentivado por uma professora de literatura, desde então escreveu mais de seiscentas poesias. Ler e escrever foram sempre suas atividades mais prazerosas, além de poesias escreveu um livro autobiográfico, Os Telhados de Ipameri, e está escrevendo um romance, além de diversos artigos, crônicas e contos. Sua obra está no site Alma Poética (www.mundim.net).

Lua Oriental

Ah minha doce lua,

crescente lua oriental,

a linda imagem sua

cura-me de qualquer mal.



Lava minh'alma suavemente

eliminando todas as tristezas,

incentive-me a seguir em frente

observando somente as belezas.



Transporte-me ao mundo da poesia

onde reinam o encanto e a paixão,

onde meu amor se envolve em minha fantasia

e se entrega aos desejos do meu coração.
 

 

Sou

Sou abelha sem o pólen da flor,

sou planta sem água e calor,

sou locomotiva sem óleo e vapor,

sou um miserável sem o seu amor.



Sou pássaro ferido e sem ninho,

sou flor sem pétalas, sou espinho,

sou um perdido sem rumo e caminho

sou um mendigo sem o seu carinho.



Sou um deserto imenso a arder,

sou arco-íris sem sol e sem chover,

sou pedra, sem vontade nem querer,

não sou nada sem seu amor ter.

 

Cortejo Estelar

A lua caminha calma

no céu de minha alma

acompanhada de mil estrelas,

ah como podem ser tão belas.



As nuvens desapareceram

e com isto transpareceram

o imutável desejo de zelar

pela beleza do cortejo estelar.



O sol nasce devagar

e já começa a indagar:

o que foi que aconteceu

depois que me fui e anoiteceu?



Com o coração aquecido

pelo astro recém-nascido,

bem melhor estou me sentindo,

só falta agora ver você sorrindo!

 

http://www.lupe.ws/

 

Música: misty.mid

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®