Marilena Lima Gomes (Lenamais)

Agradeço primeiramente a Deus, por ter concedido-me a graça de nascer do amor dos meus pais, que no dia 03 de setembro, bom o ano não importa muito, já passei dos 50 e mais importante com saúde e alegria de viver, sou carioca da gema como dizem, apesar de hoje morar em Niterói, cidade que mora no meu coração, ainda tenho o privilégio de assistir de camarote um dos mais belos cartões postais do mundo, que é à vista da cidade maravilhosa, sou virginiana, gosto destas crendices, sou supersticiosa, organizada, meia perfeccionista, as vezes um pouco chata, reconheço meus acertos e desacertos, sou uma pessoa extremamente amiga, prestativa e principalmente franca nas minhas relações em geral, curto muito preservar os amigos conquistados, na vida pessoal, tenho um filho e um neto de 7 anos e uma netinha de 3 meses, que espero que pareça comigo, curtindo muito. Na vida literária, a net me permitiu que abrisse as cortinas do meu palco, mas apenas participação em cirandas, grupos, algumas publicações em sites amigos e o movimento no meu próprio espaço na web. Escrever hoje faz parte de mim, uma das minhas paixões.

Modo de Recomeçar

Uma emoção remexe meu corpo,
Sinto o coração murmurar,
As pernas já nem conseguem,
Controlar os rumos que seguem.

Vejo-me caminhando na multidão,
Movido pela esperança e impulso,
De fitar um rosto que miro a distancia,
Alguém que irrequieta todo meu ser.

Ouso até em falar...
Mas sinto toda a emoção,
Uma coisa que só o amor,
Faz acontecer...

Paro e penso...
Tenho na mala uma bagagem,
Que jamais pensei usar,
Talvez por medo ou me guardar.

Tantas coisas que embalei,
Que decidi que ficariam guardadas,
Porque? Não sei mais explicar.
Apenas sinto o amor me tocar.

Tento fugir desta ciranda,
Esquivo-me, mas pouco consigo;
Vontade de correr ao encontro.
Luto por não me entregar.

 

Magia do Amor

Sentimos como uma pluma,
toca-nos tão leve e macio,
como se anjos nos rondassem,
começamos a ver cores e brilhos,
de forma deslumbrante,
como num passe de mágica.

Abrimos portas e janelas,
sem reservas,
sem medo,
sem pudor,
nos entregamos.

Contemplo o céu,
acredito ser uma dádiva,
um céu tão azul e límpido,
espelhando minha alma,
em total estado de purificação.

Serás tu fada madrinha?
Sinto sua presença angelical,
na candura em que chegas,
trazendo esta tal felicidade,
que todos cantam e encantam,
porém buscam incessantes.

Venha, apenas entre,
sem pedir licença,
sem lenço,
sem documento,
nada mais importa,
um estado de posse,
de entrega,
compartilham-se.

Acomode-se sutilmente,
no mais íntimo do meu ser,
sem reservas,
com domínio pleno.

Sem contratos,
prazos,
imposições,
chega doce magia...
Faça do meu corpo,
Tua moradia.

 

 

Amor Amante

Tardes amenas e místicas,
De repente eis que surge,

aquele encontro fugidio,

cúmplices no mesmo ato,

com horário marcado.

Da tarde não podem passar.




O tic-tac do relógio,

funde-se com os corações,

Lábios murmurando,

tanto para contar...

Emoções, apenas emoções,

sem juízo e sem razões...

sugam-se nos abraços,

roupas pelo chão.



Dançam corpo a corpo,

sussurrando a canção,

Numa fusão dominante,

Provam de um néctar,

Quente e embriagante.



Tontos pelo prazer,

Rolam pelo chão,

Delicioso chão!

Faz-se leito confidente,

Dos murmúrios falantes,

toque de peles travessas,

De um amor amante.

 

www.lenamais.com.br

 

Música: Africa, by Enya

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®