Irani Alves Genaro

Teatro :   : - Destaque como intérprete na peça intitulada”A Feia”.

 

Plástica:  :  - Menção honrosa no Salão Nacional do Artista, realizado na Galeria Prestes Maia, com o quadro “Paisagem do Interior”.    

 

Musica :  – Atuou como Regente do Coral da Estaca Sorocaba Brasil.

 

Ensino :  - Atuou como professora no Sistema  Educacional

(jovens 12/18 anos).

 

Obra Literária: -  Publicados : Murmúrios e Coleção Historia em Rima (6 títulos).

Estigmas - Poesias & Reflexões.

 

Academia: - 1999 – Eleita por unanimidade para a cadeira n.º 28 da Academia Sorocabana de Letras. Tomou posse no dia 25/09/1999.

 

Projeto Linc- 2000 – Lei de incentivo a Cultura = Nomeada p/ Prefeitura Municipal de Sorocaba como titular  em Artes, Livros, Biblioteca, Letras e Ciências Humanas.

 

Eu Não Posso Ser De Outro

Eu não posso ser de outro,
Suplico-te!
Não tardes tanto assim,
Tudo me fala de ti.
Os sonhos que à noite sonho,
A luz prateada da lua,
O mar quebrando na praia,
A brisa soprando em mim!

Eu não posso ser de outro,
Suplico-te!
Não tardes tanto assim.

Ah! Que eu não morra sem saber
O sabor dos beijos teus!
Ah! Que eu não morra sem mirar
O teu olhar nos olhos meus!

Vem!...
Vamos sair por aí,
Vamos juntos, de mãos dadas,
Olhar para o céu e sorrir!
Vem...
Quero que sintas o meu sentir,
Quero em teu colo deitar,
Fazer amor por amar,
Quero sentir-te em mim!

Eu não posso ser de outro.
Por favor, eu te suplico,
Não tardes tanto assim.

 

Embriagada De Amor!

Dentro do carro,
Apaixonados,
Só nós dois e a canção...
Doces momentos
Que relembro a sorrir;
Lembranças dos beijos e abraços,
Carinhos e tantos amassos
Que amassaram meu coração!

Nosso amor ficou assim,
Feito um sapato de saltos altos sem meias;
Jóia perdida na areia,
Um um gravador sem cd.
Ou seja...
De que me adianta ter?

É preciso consertá-lo!
Mas para desamassá-lo,
Eu preciso de você!

Um coração sem carinho
É como a ave sem ninho,
Passando frio, sem lar,
Não tem jeito de cantar.

Estou ficando gelada,
Benzinho!
Traga pra mim seu cobertor;
Traga de volta seus carinhos
Que aqueceram o meu corpo
Naqueles nossos momentos,
Deixando-me
Tão feliz e apaixonada,
Tão cálida e tão molhada!
Embriagada de...
AMOR!

 

Na Fotografia

No canto, no campo,
Na flor que desponta;
No mar desta vida,
Na estrela a brilhar,
Busco em vão teu carinho;
Busco em vão teu sorriso,
Busco em vão teu olhar!

Quisera ser teu momento,
O hoje, o agora;
O gosto, o prazer!
Quisera ser tua memória!

Por que consigo te ouvir
Sem que estejas falando?
Por que murmuro teu nome
Se, sei que não vais escutar?

Por que ansiosamente te espero
Se, sei que não irás chegar?
E por que eu não te esqueço
Se eu não quero lembrar?

Tu és a flama ardente
Que o tempo não apagou;
A chama da vez primeira
Em que te chamei de “meu amor”!

Amor que nasceu naquele dia
Em que meus olhos viram os teus
Olhando-me na fotografia.

 

http://recantoencantos.bravehost.com/

 

 

Música: Tristeza e Separação, by Astor Piazzolla

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®