Hermes José Novakoski

Hermes José Novakoski, filho de André Novakoski e Maria Gawenda Novakoski. Nasci aos 20 de fevereiro de 1980, na cidade de Áurea, Estado do RS, Brasil.
Sou licenciado em Filosofia pela PUCRS.
Sou de descendência Polonesa e moro atualmente em Porto Alegre RS.
Sempre gostei muito de escrever. Escrevo atualmente reflexões, poemas, mensagens. Gosto de escrever textos breves.
Trabalho com crianças, adolescentes e jovens num Abrigo em POA.
Acredito em Deus acima de tudo. Amo e respeito a família. Acredito em valores humanos que possam nos transformar cada vez mais como pessoas. Pretendo continuar estudando. Acredito que nosso país vai mudar pela educação, pois ela sustenta um povo, uma nação.

Lembranças 

Salvadas as vidas perdidas
Encontradas em meio as dores
De quem se foi e não voltará
Ainda que não sinta o amor brotar

Perdidas em relvas estranhas
Atrelados as suas emoções
Homens e mulheres unidos
Choram a dor e a desilusão

São filhos mortos pelas armas
Que construímos em nossa defesa
Mas agora viraram um perigo
Causando medo, dor, fraqueza

Amigos que correm e se abraçam
Nos olhos a despedida
A expressão simples e carinhosa
De quem irrompe e salva a vida

Param os trens, descem multidões
Sem rumos e caminhos, estão a vagar
O sol já não ilumina e nem brilha

A lua perdida em seu rumo, está a ofuscar

Aquilo que fere e machuca
Não é tanto doloroso então
Ver a partida de quem ama
Desabe qualquer coração

Partidas sem voltas e incertezas
Vidas ceifadas e destruías
Sonhos interrompidos e apagados
Em mentes férteis e cheias de vida

Corações que batiam bem forte
Agora silenciam para que todos ouçam
O estalo da arma de fogo
Que apagou mais uma vida. Que desgosto!

Sorridos melancólicos nos querem animar
Não há nada para nos confortar
Ainda que soframos com as mortes
Nossos sonhos irão ressuscitar.

 

enquanto isso...

eu corria e brincava
mamãe e papai trabalhavam
eu, criança crescia em idade e estatura,
conforme papai do céu queria

era aquela festa todo dia
pássaros, peixes, plantas
com todos eu falava
com o vento me embalava

na brisa do amanhecer
pés descalços, correndo eu ia
para acolher ao sol que novamente
atrás do monte surgia

era tanta alegria que é difícil descrever
era tanta felicidade que eu me esquecia de voltar
tudo era tão lindo que hoje
a ser criança quero voltar

passou o tempo
eu cresci, meus irmãos também
papai e mamãe choravam
ao vê-los partir

pouco ou nada entendia
crescia, corria, brincava
para mim, naquele momento
tudo era alegria

mas o tempo passa
cresci, cresci e cheguei até aqui
hoje não brinco como antes
mas daquele tempo não me esqueci

papai foi pro céu
mamãe ainda me afaga
meus irmãos todos casados
lembram de mim, bebê de casa

foram tantos momentos
pura alegria e emoção
hoje estou crescido
trago tudo no coração

papai me ensinou a ser bom menino
isso nunca quero esquecer
mamãe me disse: vai para ser feliz
hoje estou aqui, mas lembro de vocês

mamãe no coração
papai também
uma multidão de amigos
todos amo e quero bem

não tenho ouro, nem prata
tenho um sonho e uma esperança
partilho eles com vocês
amigos de confiança.

 

QUE HAJA PAZ!


Que haja Paz nas famílias
Que haja Paz na sociedade
Que haja Paz nos corações
Nos campos e nas cidades

Que vivamos como irmãos
Seja lá aonde for
Paz e Fraternidade
são frutos do Amor

Que possamos ser amigos
E viver como irmãos
Num abraço e num sorriso
Haja sempre comunhão

Que a vida seja bela
E sejamos companheiros
Paz, vida e igualdade
Nas famílias do mundo inteiro

Que os corações sejam marcados
Pela partilha e doação
E vivamos na cordialidade
Tendo o vizinho como irmão

Num abraço sempre aberto
Na acolhida e na doação
Haja vida e alegria
Na partilha do pão

Seja negro, branco, índio
Mulato, cafuzo ou sem cor
Nada disso possa impedir
Nossa luta pelo amor

Que haja paz nas relações
Entre governos e nações
E façamos desta terra
Um banquete em celebração

A oferta seja a mesma
A unidade e a comunhão
Que vença toda discórdia
E quebre as prisões


No rosto do idoso
Do jovem e da criança
Da mulher e do deficiente
Haja sempre um sorriso de vida e esperança

A alegria seja a semente
A ser espalhada por todos
E colheremos seus frutos
Para semear de novo

O ódio esquecido
A guerra acabada
O medo vencido
Todas as mãos dadas

Que haja paz
Seja onde for
Que suas sementes
Frutifiquem com fervor

Somos da paz
Temos a paz
Vivemos em Paz
Queremos a Paz.

 

http://geocities.yahoo.com.br/euosou/

 

 

Música: Hijo de la Luna, de Mecano

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®