Mary Fioratti

Morei no Brasil até 1990.
Fiz Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras em S.Jose dos Campos.
Dei aulas de Inglês por 5 anos para o Curso Colegial.
Fui Secretaria Bilíngüe na Ericsson, Johnson&Johnson e Bristol Myers Squibb.
Sou casada, tenho uma filha e moro em Cincinnati, Ohio. Atualmente sou Assistente Administrativa em uma
Empresa Financeira.

Comecei a escrever quando tinha 15 anos. Fazia poesia em ônibus (em pequenos papeizinhos), e tinha um caderno que eu escrevia a mão... dois cadernos de 100 folhas, com poesias e até índice no final das poesias. Lendo hoje, eu me lembro vivamente para quem eu as fiz na época.... Quando fazia Faculdade, fui inspirada por Fernando Pessoa (meu ídolo) e continuei escrevendo, mas nunca pensei em publicar. A veia da "escrita" veio de meu avô materno, vovô Juquita .Tudo que me lembro quando era pequena, era meu avo sentado no seu escritorinho, datilografando paginas e paginas. Ele era Cidadão Benemérito da Cidade de Guaratinguetá, e escrevia para o jornal de lá, assim como o de Caçapava. Ele era Escritor, Jornalista e registrado na Associação Paulista de Imprensa.
Foi então que no ano de 2004 resolvi criar meu site. A principio pensei em colocar minhas poesias, mas depois pensei em colocar também partes importantes da minha família, eternizá-la.

Testamento 

Deixo hoje escrito nas folhas de sua alma
O meu testamento final
Enquanto estou plenamente consciente
Das minhas faculdades "sentimentais"
(É possível ser consciente quando se ama?)

Lembra daquele ABRAÇO
Que lhe dei naquele dia
Em que você estava triste
E deitou a cabeça em meu ombro?
Aquele abraço é seu.
Leve-o com você
E todas as horas que você se sentir sozinho
Desamparado e triste
Use-o para esquecer a sua dor

Lembra daquela manhã
Em que o seu olhar estava perdido
E deitei sua cabeça no meu colo
Acariciei seus cabelos
Por um longo tempo
Até que você se acalmou?
Leva esse CARINHO
Coloque-o dentro do seu bolso
E sempre quando se sentir perdido
Use-o para se sentir amado e querido
Como você nunca foi


Lembra daquela tarde
Em que você saiu para sua caminhada
E seus passos estavam trôpegos
E o mundo parecia cair sobre sua cabeça?
E eu segurei o seu braço
Dei-lhe um beijo apaixonado
E lhe disse no ouvido
Uma FRASE DE AMOR?
Leve-a para você
Para quando precisar dela
Num momento de dor

Lembra daquela noite
Em que eu entrei em seu quarto
Coloquei suas mãos dentro das cobertas
Acariciei seu rosto
Beijei suas pálpebras
Sequei suas lagrimas com meus beijos
E como uma criança
Você dormiu em meus braços?
Guarda para você esses BEIJOS
Para quando você perder toda a esperança

E agora que você já tem todos os meus bens
E pode usá-los para preencher a sua solidão
Deixe que eu encare a minha alma vazia
E com a tinta vermelha do meu sangue
Assine este Testamento
Com o meu coração

 

 

Saudade de Mim

Abri um velho álbum de fotografias
Procurando por mim
Queria encontrar meus olhos
De antigamente
Aquele meu sorriso
Despreocupado
Queria encontrar aquela essência
Que com o tempo eu perdi

Meus cabelos longos ao vento
Meu jeito infantil. de moleca
Minha pose sensual - patética!
Aquele ar de "menina" fatal

Procurei por um brilho de êxtase
Uma deliciosa malicia delirante
Aquele ar de quem faz "pouco da vida"
Aquele gargalhar inconstante

Saudade daquela menina
Tão inocente.. tão pouco vivida
Que acreditava em sonhos
E que quando dormia
Encontrava em seus sonhos
Uma doce e louca fantasia

Saudade de um tempo
Quando não existia o fantasma do futuro
Que hoje ataca no meio da noite
Meu quarto escuro

Saudade...saudade de um nada
Que era "tão" tudo
E que ficou perdido no tempo
No som do vento
Num eco mudo

Saudade de uma estrada
Das flores do nosso jardim
Saudade dos meus antigos passos
De demorados abraços
Saudade de mim.

 

 

Uma Mulher

Imagem de sonho
Embrulhada
Em fitas douradas
Delicada, feminina
Suave como a brisa
Sonha... navega...
Pelas ondas turbulentas
Enfrentando as tormentas
E no palco da vida
O papel do Amor
É o que melhor representa
Colo morno, mãos suaves
Cabelo macio, beijo molhado
Carinho guardado
Para o momento certo
Pés inquietos... macios
Prontos para um carinho
Creme no corpo espalhado
Pronta para ser tocada
E com muito amor
Abusada
Planta a semente
Rega a flor
Acaricia os brotos
Faz o papel do sol
Da lua
Das estrelas...
Cria... transforma...
Procurando a beleza
Mulher fogosa
Que alucina
A solidão
É sua sina

 

http://www.maryfioratti.com/

Brasil/USA

 

 

Música: As Rosas

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®