Ferdinando  Fernandes

Sou Ferdinando Fernandes, nascido no Norte de Portugal.
Desde muito novo comecei escrever poesia ao lado de meu pai, que foi grande poeta.
Aos doze anos fui premiado com trovas em vários jornais portugueses.
Ingressei na Alemanha á cerca de trinta e cinco anos, onde desenvolvi neste país várias actividades, entre as quais no ramo Imobiliário e Bancário.
Depois de muitos anos de trabalho cedo me aposentei, pois queria viver algo da vida.
Hoje resido em Solingen Alemanha, com a minha esposa, na nossa residência no centro de um parque natural .
Escrevo dentro dos limites do meu tempo livre, pois as letras
já fazem parte da minha vida.

 

OS VERSOS QUE TE ESCREVO

©Ferdinando

Os versos que escrevo são choros da minha alma
na serra das lágrimas, na estrada da vida.
Versos são pérolas preciosas para guardares,
no sacrário do teu peito onde o amor habita,
num encanto exímio que permanece em ti.

Estes versos feitos de amor e de saudade,
cantados no distante pelas Deusas atrás das dunas,
são vida e desejo, prazer das horas e dos dias...
a brisa mais leve vinda dos infindos longes,
para beijar teu corpo e engravidá-lo de sorrisos....

Os meus versos são o fruto no prado da vida,
certeza de iniciar em ti a manhã de outros anseios
num caminhar abstruso, serei o grito grave,
para alindar teus dias de horas mais azedas,
golpear a sordidez que magoa o teu viver
Estradar-te um porto para ancorar teus sonhos!..

 

AMOR...AMOR REAL

©Ferdinando

Há brilho nas estrelas dos teus olhos,
mulher Deusa dos meus versos...
és a promessa de futuro sem fronteiras
num Universo de sonho e de amor.

No teu sorriso há pétalas de rosas
num desenho pintado pela ternura,
num transparecer que dá luz á escuridão
numa puridade livre onde eu habito!..
És um poema de terna expressão
que me enche de desejos que não digo.

As melódicas canções da primavera
cantarão em ti a luz das nossas vidas,
no horizonte escuro no cavalgar dos dias!
Encontrei o afago terno do teu corpo...
abençoado o amor que te gerou a vida

Em todos os mares, e em todas as rotas
és a constante beleza que me abraça agora,
nesta esfera ensopada de queixumes!
Seremos desejo de voarmos de mãos dadas
Num etéreo onde o amor seja real.

 

SURPRESA NA NOITE

©Ferdinando

Foi no entardecer de uma noite triste.
Que o silêncio vindo com as estrelas,
magoava a tua solidão...
onde o teu pensamento voava até mim!...

No alongar da noite, e no olhar das estrelas...
em leves passos caminhei nos teu sonhos,
onde o teu coração era o sacrário,
do amor que nos prendia...

O teu desejo de me querer, foi realidade
nessa noite enluarada, silenciosa e quente!...
Entrei no teu quarto, retirei o alvo lençol,
que cobria teu corpo terno desnudado,
e levemente te fiz minha... nesse desejo
que nos queimava!...

Ao amanhecer estávamos débeis, mas saciados,
no nosso querer de eternos amantes!
O nosso grito, no auge dessa loucura
onde um sonho foi desejo e vida
e esperança de contínuas noites!...

 

www.fersi.de

Portugal/Alemanha

 

 

Música: Arjona duerme

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®