Eda Carneiro da Rocha

Filha de Ernani Carneiro da Rocha e Esmerilda Soares Carneiro da Rocha, nasceu em 12/02/1935. Brasileira, solteira, nascida no Rio de Janeiro, em Vila Isabel.
Professora Titular de Língua e Literaturas Francesas.
Fez a Aliança Francesa até o sexto ano. Trabalhou no Tradicional Colégio Pedro II, onde lecionou a disciplina Francês, durante 26 anos. No Município e em Faculdades.
Cursou a Universidade do Estado da Guanabara, atual, U.E.R.J.
Sempre gostou muito de línguas , de boa leitura sem jamais ter feito poemas. Escrevia mais textos em prosa, quando na sua adolescência, para pôr para fora o que precisava falar.
Conheceu , em 2003, no dia 15 de outubro a Poeta Ligia Tomarchio que a incentivava sempre a fazer poemas, ao que respondia: " Não sou poeta"!
Fiquei muito feliz , quando aconteceu o meu primeiro poema: "Rose"! Estava fazendo um email para Ligia e comecei a ensaiar meu primeiro poema que alcançou a Sala de Efigenia Mallemont, tendo aí estreado em 31 de julho de 2003.
Desde esse dia não parei mais de escrever e fazer poemas.
Participei da Antologia "Olhos d'alma", relizada  por Sérgio Grigoletto, do "Clube Amigos das Letras", com o poema "Magia". A festa de lançamento foi em 09 de julho de 2004, em Barra Bonita/SP.
Foi tudo muito rápido e eu mesma me surpreendo, como isso aconteceu na minha vida.
Se for " Poeta", como dizem, eu não o sabia!
A gratidão é a virtude mais bela para mim. Jamais deixarei de citar este nome: "Ligia Tomarchio" que foi o marco de minha vida de poeta .Ela me fez tirar água da pedra,descobrir sonhos, alegrias e tristezas que estavam esquecidas, mortas dentro de mim.
Meu lirismo estava mascarado. Hoje, agradeço muito a Deus esse talento que galguei com a Sua ajuda e a dessa amiga querida que jamais esquecerei, enquanto vida eu tiver.


AMOR INCONDICIONAL


Amor, sentimento livre,
capaz de vencer todas as barreiras,
pois a alma não tem sexo.
É solta, ama, sem prisões.
Nada lhe é imposta,
quando o amor chega!
Entra sorrateiro ,
esperando uma definição
que vem com o despertar
da nossa paixão!

E, quando chega, avassalador,
não há nada nem ninguém
que o segure...
É fogo que arde, sem dominação,
sem fronteiras nem barreiras.
É livre, solto, em sua forma,
pois é Amor, Incondicional Amor.

E, quando se ama,
ama-se,
sem muita explicação!..

Gostaria de cantar este amor guardado,
imaculado, por você.
Não o podendo,
canto-o
um pouco preso ainda
no meu coração.
Mas sei que vou te amar,
como esta canção.
E nada, nem ninguém
me impedirá de te dar
o meu coração!

 

 

Flutuando ao Vento!

Flutuando ao vento levo o meu amor,
que me conduz à Terra
dos que são amados.
Dos que não são tristes,
dos que crêem na vida!
Dos que têm esperança
na própria esperança vivida!

Amar num porto seguro, como meus braços,
que te estreitam singelamente,
querendo-te cada vez mais,
Amor Meu, Meu Amor!

Na cama, no prado, no céu, na terra,
em qualquer lugar,
é suficiente para te amar!..

Na pobreza, na riqueza,
na saúde e na dor,
na alegria, no compasso
e descompasso
que caminho,
contigo, Meu Amor!

No abraço, no beijo, no orgasmo,
no carinho, após o amor,
me delicio, falando ao teu ouvido:
"Vamos amar outra vez?"
E, céleres, recomeçamos,
esta orgia...
Neste vai e vem
que transporta minh'alma
enlevada a te querer
nessa melodia,
onde ouço os sons mais belos
que me convidam ao Amor!

 

 

SOU LOUCA?

Serei louca em contar e cantar o amor?
Louca serei em amar o amor?
Será loucura o devaneio vão que carrego,
mel escondido, transformado em fel?

Por que escrevo tanta poesia de amor,
perguntarão, meus poetas.
Porque ele me dá a vida
Ela me tirou a loucura que carreguei
no plano real, não no poético.
Falam que estão loucos!
Louca estive eu,
mas não tornarei a ficar,
porque encontrei o verbo amar,
para conjugar com a loucura
do pensar.
E nessa trilogia: loucura, amar e pensar
finquei a minha vida .
Do nada fiz tudo
E do tudo fiz nada.
Jogo de palavras deveras banal..
Não! Só demência total!
E nessa demência, insanidade ou o que
queiram,
Construí meu palácio ,numa nuvem
passageira
E dela fiz morada, tranquei minha loucura
e emergi do nada!

 

 

http://www.albumpoeticoeda.com.br/

 

 

 

A Borboleta Encantada, de Eda Carneiro da Rocha
https://www.youtube.com/watch?v=gRkmQvQAWAE

 

 

 

 

Música: Eu sei que vou te Amar, de Vinicius de Moraes e Antonio Carlos Jobim.

 

 

 

 

 

 

Voltar Menu

 

 

Art by Ligi@Tomarchio®