Diógenes Pereira de Araújo

5.2.35, Bebedouro. SP.
Residente em Bauru, santista por afeição.
Bancário aposentado,
formado em Ciências Jurídicas e Sociais.
Acho mais importante que a biografia
informar que pretendo, com poemas
motivar as pessoas,
a começar dos outros que escrevem,
 buscarmos um caminho para um Brasil
melhor, que algum caminho existe.

Nossa Imagem

Sou algo assim: presente e oferente;
discreto de interesse e compreensão;
se às vezes, de repente, fico ausente
não julguem ser por falta de afeição:

quando me afasto há sempre uma razão
eis que acontece assim com toda gente
que a todos passa o tempo de raspão,
porém, de coração, estou presente

a seus sonhos, trabalhos e projetos
de construir mais vida e mais valor;
quem vive a própria vida com ardor

inspira, saiba ou não, muitos afetos:
faz a sua vida mais gratificante
e projeta uma imagem elegante.

 

Quem Sabe...

Aquele que não sabe e inconseqüente
pensa saber, falando sem parar,
evitá-lo é o caminho a se tomar;
aquele que não sabe e está ciente

de não saber, ajude-o a despertar;
quanto àquele que sabe e é diligente
em mais e mais saber, vale ajudar,
a fim de ser ainda mais sapiente,

bem como em partilhar de seu saber.
Falar de um outro tipo ainda cabe:
do sábio que se ocupa mais em ser:

o sábio sabe tudo quanto diz
porém não fala tudo quanto sabe:
o ser, mais que o saber, o faz feliz.

 

Versos Livres

Se há preso um sentimento indefinível
somente em versos livres se liberta
e a ternura sentida, irreprimível,
outra emoção sentida além desperta

O verso tem o dom, irretorquível,
de consignar a alma, em doce oferta,
a outra alma, alerta e receptível,
quando a junção das duas numa acerta

O verso livre diz o que pretende
e, mais que diz, inspira e insinua
naquele/a a que procura e lhe acentua

o sentimento preso que se rende
ao convite poético de dar
liberdade ao que sente e se expressar.

 

*Homenagem e oferecimento
a todos meus amigos e
correspondentes*


diogenes@poemanet.com

 

 

Música: If

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®