Alda Corrêa Mendes Moreira

(12/12/1926 – 25/05/2009)

- Professora, Poetisa, Trovadora, Cronista e Haicaísta.
- Nascida na cidade do Rio de Janeiro. Cidadã Honorária Niteroiense;
- Formada em Letras Neolatinas pela Faculdade Nacional de Filosofia (atual UFRJ);
- Pertence à Associação Niteroiense de Escritores (ANE);
- Filiada à Associação de Diplomados da Academia Brasileira de Letras (ADABL);
- Membro Acadêmico Fundador da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias, (Cadeira nº 01, Patrono Artur Azevedo), Brasília, DF;
- Membro da Academia Fluminense de Letras;
- Membro Correspondente da Academia Petropolitana de Poesia "Raul de Leoni", Petrópolis, RJ;
- Membro Correspondente da Academia Cachoeirense de Letras , Espírito Santo, RJ
- Adida Cultural ( no Estado do Rio de Janeiro ) do Movimento Literário Torre de Pedra, sediado em Porto Alegre ( RS).
- Detentora de inúmeros prêmios literários ( prosa e poesia) em diversos estados do Brasil e no Exterior;
- Tem inúmeros trabalhos publicados em jornais e revistas;
- Figura em diversas Antologias.

Nota - Outros dados da escritora poderão ser vistos em seu site Espelho Poético: http://www.espelhopoetico.pro.br

**Infelizmente, dia 25 de maio de 2009, nossa querida poeta e amiga Alda, nos deixou... Saudades!

DOCE PRESENÇA 

Chegas devagarinho

ao anoitecer

trazendo sempre contigo

aquele nosso segredo

guardado com tanto carinho.


Com a alvura da paz

e um fulgor exuberante

surges bela e extasiante.


Algumas vezes

entretanto

trazes contigo muitas sombras:

amargas imagens de lembranças

que eu quero olvidar

mas não consigo

jamais.


Se demoras

-ansioso-

eu conto as horas.


Quando apareces,

enorme alegria sinto

e uma imensa felicidade

o meu ser invade

mesmo sabendo

que não és somente minha,

ó doce lua rainha!

 

VIDAS ENTRELAÇADAS

Quis o destino um dia unir as nossas vidas

e, cheios de esperança, urdimos nossa trama,

à procura de um pouso onde houvesse acolhidas

repletas de ilusão - um bem que nos inflama


E assim vivemos nós, sem dores escondidas,

agradecendo a Deus a força de quem ama.

Felizes, com fervor, encontramos guaridas

em cada coração que atiça a nossa chama.


Ignoro o que será de ti quando eu me for,

pois nem quero pensar no fim do nosso amor,

que sempre me ofertou tanto carinho e ardores.


Louvando esta união repleta de beleza,

não sei se sentirás deste afeto a certeza,

mas sei o que será de mim quando te fores...

 

PARTILHA

 (Glosa)


MOTE

"Eu sinto em mim maravilha

ao ver a mãe tão contente

fazer do amor a partilha

a cada filho igualmente."


Eu sinto em mim maravilha

na mãe que ao meu lado está

e vejo a materna trilha

em cada passo que dá.


E de alegria me inundo

ao ver a mãe tão contente

transformar seu doce mundo

em vida tão oferente


Ainda que maltrapilha,

a Deus ela sempre implora

fazer do amor a partilha,

que assim nenhum filho chora.


Tenham as mães no coração

este sinal resplendente:

saber dar o seu quinhão

a cada filho igualmente.

 

http://www.espelhopoetico.pro.br

 

 

Música: Vila Lobos

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®