Antonia Nery dos Santos Vanti

Vyrena


Sou Antonia Nery dos Santos Vanti, (Vyrena) nascida em 16 de fevereiro.
Formada em letras, trabalhei como professora do Estado. Hoje estou aposentada.
Casada, um casal de filhos ( Angeluce e Gleyer) e um casal de netos, presentes de meu filho (Laura - oito anos e Lucas- dois anos e meio.
Nasci e fui criada no interior do RS, onde casei e tive meus filhos.
Em 81, mudamos para Porto Alegre, onde vivemos até hoje.
Romântica e sonhadora, comecei a escrever quando descobri a internet.
Sendo tímida e retraída, é em frente à telinha que deixo vazar meus sonhos e fantasias.
Um pensamento: "Os sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente".

É na poesia

É na poesia
que vivo meus sonhos
mais loucos,
muitas vezes sem sentido
de um coração doído,
sofrendo as dores da solidão.

É nela que me escondo.
É meu mundo perdido,
É um lugar só meu.

É aí que descubro sentimentos
Que nem sonhava possuir.
Aí desabafo meus tormentos
escondidos bem lá no fundo
de meu eu interior.

É nesse mundinho secreto
que guardo escritos
com tinta invisível,
os desejos mais íntimos,
e os segredos mais bonitos
da alma e do coração.

Antonia Nery Vanti (Vyrena)

 

Poeta

Poeta, um rabiscador de sentimentos,
que abre as janelas da alma
e dá liberdade aos sonhos
para que possam voar livremente.

Assemelha-se, muitas vezes, aos loucos,
perdendo-se nos labirintos da fantasia,
criando um mundo ilusório
de lirismo.... sonhos e quimeras.

Ah... ser poeta.... quem me dera!
De minha vida contaria a história,
fantasiando a realidade
sem mágoas, ressentimentos e dores,
com alegrias e sonhos realizados.

Dos sonhos desfeitos, esqueceria
e, como um pássaro, arribaria
para longínquas paragens,
levando em minha plumagem
a cor da esperança e da felicidade.

Antonia Nery Vanti (Vyrena)


Meu canto

A ti dedico meu mavioso e amoroso canto
Não! Não desejo teu aplauso, tuas palmas!
Desejo, isto sim, ser teu maior encanto
E que se unam, para sempre nossas almas!

Coloquemos de lado medos e traumas,
Ocultemo-nos sob o manto do amor.
Sigamos de mãos dadas por estradas calmas,
Onde não existam sofrimento e dor.

Sem tua mão na minha, sinto-me perdida,
Nada mais , para mim, tem valor na vida
Sem ti, até aqui chegar, não sei como pude!

És de meu caminho incerto a maior ventura.
Entendo... pode até parecer loucura,
Mas só contigo, encontro da vida a plenitude!

Antonia Nery Vanti (Vyrena)

 

http://br.geocities.com/aneryv/
http://www.avpb.olga.kapatti.nom.br/36_vyrena_academico.html
http://www.ebooks.avbl.com.br/biblioteca3/vyrena.htm

 

Música: Traumerei, by RobertSchumann

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®