Odete Ronchi Baltazar

É formada em Língua Portuguesa, com especialização em Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Catarina.
- Publicou "Só Poesia" em maio de 2006, pela Editora da AVBL.
- Publicou "Caixinha de Segredos" em junho de 2009, Editora AVBL

Tem participações em Antologias, tais como:

- DiVersos, Ed Scortecci, 2002
- Com licença da Palavra, Ed. Scortecci, 2003
- 1ª Antologia Poética AVBL, Ed da AVBL, 2004
- Virtualismo, Ed AVBL, 2005
- uniVERSOS, gráfica e Ed Ivan, 2005
- 2ª Antologia Poética- Literária AVBL, Ed da AVBL, 2006
- 3ª Antologia Poética- Literária AVBL, Ed da AVBL, 2008
- 4ª Antologia Poética- Literária AVBL, Ed da AVBL, 2008

É membro fundador efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras- AVBL
www.avbl.com.br

Seus sites pessoais:
www.odetepoesias.com.br
www.palavrasmil.blogspot.com

 

O lado azul da minha alma


Enquanto olhar para as borboletas e as flores
e me entregar
inteira
aos meus amores,
terei asas,
e poderei flutuar
entre versos tecidos
em arco-íris
por meus dedos de poeta.
E terei o perdão,
o olhar benevolente,
a fruição.
Enquanto meus olhos brilharem à luz do sol,
ou se fecharem em nuvens,
estarei mais perto do céu,
estarei bem ao alcance de tua mão.

odeteronchibaltazar

 


Floradas

Ando assim,
meio arredia nestes dias de sol,
escondida dos meus versos,
com medo de luz e de flores.
Tento escrever, mas qual!
As palavras ainda estão hibernando.
E eu querendo chuvas e floradas!
Em dias assim,
desisto nas primeiras linhas
e busco outros campos de inspiração que minhas mãos carecem de criar e não podem ficar assim, a brincar por brincar.
Abro imagens e crio meu mundo de formas e cores.
E sonho que tudo são luzes.
E acredito em eternos amores
e em dizeres 'para sempre'.
Brinco com essas coisas todas que me satisfazem.
E nestes dias
solitários e rudes,
só não consigo sossegar as minhas dores que,
em primaveras,
renascem.

odeteronchibaltazar


 

Fragilidades

 Algo,
entre meus guardados,
era vidro e se quebrou.
Não tive cuidados,
exagerei na dose,
desfiz o lacre,
escancarei os segredos,
destranquei a chave.
Que faço agora
com os pedaços de vida espalhados
em areias movediças?
Não posso mais reuni-los.
Não adianta ajoelhar,
rezar,
dizer missas.
Estão aí
desfeitos e,
mesmo tendo o fio,
não posso mais costurá-los...

odeteronchibaltazar

 

www.odetepoesias.com.br
www.palavrasmil.blogspot.com

 

 

Música: An Affair to Remember, by Emile Pandolfi

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®