P@ulo Monti

15/01/1955 - 30/05/2010

Paulo Monti é natural de Itaqui-RS e reside em Porto Alegre, RS.
Uma breve incursão pela psicologia durante três anos e, atualmente,
estudante do último ano curso de Administração de Empresas.
Participou, há alguns anos atrás, de concursos nacionais, como o
Prêmio Nestlé de Literatura, de jornadas de poesia no Centro de Ensino
Unificado de Brasília (CEUB) e tantos outros. Participou, também,
de concursos no "Centro de Estudios Poéticos", Madrid - Espanha.
Recentemente, obteve Menção Honrosa no “Concurso Internacional de
Poesia Livre "Sol Vermelho" - Prêmio Celito Medeiros 2004”, vindo a
participar da antologia promovida pelo concurso.

Membro de:
1) Academia Literária, ocupando a cadeira 427 - http://www.academialiteraria.com.br/
2) Academia Virtual Brasileira de Letras - http://www.avbl.com.br/
3) Castillo Sekher - Miembro de Honor del Castillo Sekher - http://www.sekher.com/
4) Puente de La Amistad - Madame Lady
5) Portal CEN "Cá Estamos Nós".
6) Membro de Poetas del Mundo.

Criador da Revista Paralelo 30 com muito sucesso, Paulo Monti nos deixa saudades. Partiu em 30 de maio de 2010.

Alienação

O som do mar
Busca meu ouvido.
Meu olhar
Mergulha no quarto escuro
E busca as profundezas:
A suprema claridade das profundezas!
Tudo se resume:
Certo
Errado
Idiotas & doidos
Brilhantes & esmeraldas:
Puro e maculado!
O som do ouvido
Procura meu mar
Mergulha no certo
E busca o errado:
O teto desaba em luzes coloridas!

 

Aurora

Um sono profundo
Marcado no velho sapato corrompido pelo tempo
Aprisiona o ruflar das asas
Sonolentas da manhã.
O passeio noturno
Liberta antigas canções,
E, em coloridos poços sonoros
Vivem suaves, mas tristes
Criaturas: antigos humanóides.
Num grito isolado e quase sufocado
Algumas tímidas borboletas
Ameaçam o primeiro vôo:
O primeiro vôo...
E, nas contrações azuis da minha sombra,
Transformo-me em anjo sonoro
E musifico.
Faço-o até a última pena,
Até que a primeira estrela da manhã
Bruscamente poligonize-se em minha janela.

 

Amar Você

Amar você
Ouvir sua voz
Junto com os pingos dessa chuva
O mundo todo cala-se!
Mais alto fala a saudade
De te ver
Junto ao meu peito
Deixar sua cabeça repousar
Sentir seu respirar em mim!
Amar você
Murmurar em sua janela
Como o mar à praia
Escorrer por ela
Te ver um instante só!
Amar você
Abraçar o infinito
Diluir-se na chuva do seu sorriso
Afundar-se no oceano do seu olhar
Flutuar no céu do seu corpo
Tornar-se o ar que respiras
Sufocar em seu beijo
Muito mais, muito mais...
Amar você!

 

http://www.revistaparalelo30.com/index.htm

 

 

Música: beyondthereef.mid

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®