Luciano Spagnol

Luciano Spagnol, Fisioterapeuta, pisciano, mineiro de Araguari, residente no Rio de Janeiro. Criou o site www.poesiaempauta.fst.br somente para postar suas poesias e de uma poetisa amiga. Na admiração pela poetisa passou a sonhar com o mundo da poesia, desenhando no papel seus momentos. Escreve o monologo de sua alma, que passou a ser uma necessidade... Membro da AVBL – Academia Virtual Brasileira de Letras. Tem textos publicados nos sites: Yasmin “Sonhos e Carinhos”; RDL - Recanto das Letras; Sociedade dos Poetas Vivos e Site de Poesias – Infinito ao pé da letra.

 

Monólogo da Alma


Que venha toda a rima
Encaixada na métrica
Dos versos de amor
Carregada de louvor
Enaltecendo alegrias
Trazendo melancolias
Ou chorando tristezas
Traduzidas nas clarezas
De seus versos ufanista
Positivista
Ou niilista...
Não importa a filosofia
Da prosaica poesia
Se ela for porta-voz
Desta mórbida ironia
Nossas rasgadas dores
Opondo aos amores
Libertando as euforias
Do minimalista coração
Sempre de prontidão
Escrevendo com maestria
O monólogo da alma
E a romântica poesia
Em sua pura criação

Luciano Spagnol
 

Versos e Reverso


Retornei ao ponto de partida
Vou procurar por outra saída
Para este desenlace de amor
Mesmo que possa dar em dor

Vou estar na posição oposta
Qualquer que seja a proposta
De não esquecer o seu olhar
Ainda que eu esteja a li amar

Vou voltar a ser o que era
Sem ter que ficar na espera
Destas almas se entenderem
Transformadas em Quimera

Meu coração vai ser o revés
De minha vontade, ao invés
De correr para seus abraços
Vou é estar em outros laços

Desmistifico nestes versos
O avesso de meus sonhos
Estes pesadelos enfadonhos
Pra harmonia que proponho

Não quero opor a verdade
Que hoje fala meu coração
Com toda sua ambigüidade
Pra não reverter à situação

Hoje eu quero o anverso
De um amor no reverso
Pois eu vou ter e mereço
Por um amor com apreço

Luciano Spagnol
 

INQUIETO CORAÇÃO

Meu coração é um eterno sonhador
Viaja nas mais longínquas paisagens
A procura de encontrar o seu amor
Onde o sol arde e a alma vê miragens

Meu coração tem sempre pensamentos
Que deslizam pelo corpo como clamor
Impulsivas emoções e contentamentos
Que mesmo calados, ainda falam de dor

Meu coração chora lágrimas contidas
Perturbando o silêncio da madrugada
Rasgando o peito com abertas feridas
Acorrentando os desejos nesta morada

Meu coração esta sempre a desafiar
Perdido nos corredores dum labirinto
A procura do algo mais para acalmar
Sua inquietude latente neste recinto

Minha razão transita entre espinhos
E leva na bagagem toda sua emoção
Trais contigo também o seu carinho
Para ver serenar o inquieto coração

Luciano Spagnol

www.poesiaempauta.fst.br

 

Música: Canção do Tempo, by Madredeus

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®