Jorge Linhaça

Jorge (Luiz Franco) Linhaça, nasceu em São Paulo, capital, em 17 de julho de 1961, filho Mário João de Abreu Linhaça e Elisa de Jesus Franco Linhaça, imigrantes portugueses.
Formou-se em pedagogia, na UNICID- SP em 1989
É Cônsul do Movimento "Poetas Del Mundo" para a cidade de Arandú-SP.
Foi diretor de eventos da Sociedade Partenom Literário de Porto Alegre-RS;
É Assessor de Relações Públicas da AVPB - Academia Virtual Poética Brasileira
Foi Conselheiro da Casa do Poeta Rio-Grandense - Porto Alegre-RS
É Decano do Conselho e Delegado Regional do Clube de Escritores Piracicaba ( Piracicaba- SP)
Co-fundador da Federação das Academias de Letras e Artes do RS

Escreve semanalmente como colunista no Jornal "Democrata" de São José do Rio Pardo.

É cronista da revista eletrônica Paralelo 30
Desenvolve um trabalho de criação de poesias infanto-juvenis às quais agrega exercícios de interpretação e criação de textos.
http://oreinoencantadodejorgelinhaca.synthasite.com/
Este trabalho, inicialmente divulgado na Internet por amigos, já é utilizado em várias escolas do território nacional como material de apoio pedagógico.
É membro idealizador e ativista da INCAPAZ- INCansáveis Amantes da Paz
http://incapaz.mywebcommunity.org/
Site pessoal:
http://picadeirodasemocoes.synthasite.com/

Participou de várias coletâneas poéticas e recentemente editou seu livro " A Grande Jornada"
que pode ser adquirido através do site:
http://www.lulu.com/content/5294551


NAS AREIAS DA PAIXÃO


Nas areias da paixão,
as marcas de nossos corpos
gravadas em baixo relevo.
A luz do sol que se põe
banha-nos de raios doirados
testificando a riqueza de nosso amor.

A brisa suave sussurra doce melodia,
trilha sonora que se une às nossas juras
feitas em palavras entrecortadas
pela emoção de nossas almas.

Unimos num beijo as nossas vontades;
corpos colados em terna fusão...
matando a sede de nossa saudade;
deitados nas areias da paixão.

Jorge Linhaça,
o Anjo das Letras

 

ESTES MEUS OLHOS

Estes meus olhos, de mim tão distantes
Que refletiam a luz da alegria
Hoje são olhos de melancolia
Do verde jade ao azul cintilante.

Cinza se tornam em raros instantes
Como tu viste tornarem-se um dia
Hoje nas cinzas repousam constantes
longe da paz que teu rosto trazia.

Estes meus olhos, já gastos, puídos
Já não alcançam a luz do meu estro
(Jazem atrás de dois olhos de vidro)

Estas pupilas que mudam de cor
Cinza se tornam somente, confesso
Quando encaram a luz do amor.

Jorge Linhaça,
o Anjo das Letras

 

DESABROCHAR DO AMOR

Nasceu no coração singela flor
Amarela flor vestida de sol
Desabrochou em total esplendor
Como fora o céu em pleno arrebol

Voltei a ser poeta e sonhador
Fazendo as vezes de um rouxinol
Para cantar em versos meu amor
Buscando teu calor, qual girassol

Qual um beija-flor desperta alegria
com o seu voar veloz e contente
Desperta o amor ao sol que dormia

Dentro do peito de forma latente
Vai-se a noite... acende-se o dia
Aquece a alma, assim docemente.


Jorge Linhaça,
o Anjo das Letras

Arandú, 16 de abril de 2009



http://picadeirodasemocoes.synthasite.com/

 


 

Música: Carinhoso, com Altamiro Carrilho

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®