Iracema  Zanetti


Vestida De Amor


Corpo alquebrado pelas lutas árduas da vida
Nas quais me fiz guerreira
Vencedora de quase todas as batalhas
Cadê minha coragem minha audácia
Cadê minhas medalhas meus estandartes
Cadê meu comandante?

Fiz-me amor folhas ao vento levadas sem rumo
Barco à deriva velas esgarçadas
Calmaria vendavais
Navegante em busca de um porto seguro!

Ah solidão que me maltrata
Arranca do meu peito o coração
Noites frias escuras insones
Olhar ausente voltado ao passado!

Deixei para trás o que eu mais amava
Não vi nem senti o sal nem o sol
Aprofundarem os sulcos do meu rosto!

Onde minha vida minha felicidade
Se hoje nada mais encontro
Nem mesmo o pouco de mim
Que deixei ficar em cada porto!

Apenas migalhas desfeitas restaram ao relento
Umedecidas pelo orvalho frio das madrugadas
Onde outrora à luz da lua e o brilho das estrelas
Tu vestias-me de amor!

Iracema Zanetti

 

Amor Bonito

Que paixão é esta que me leva a levitar
Nos momentos preciosos de felicidade
Que só tu sabes me dar
Como não me entregar para ti perdidamente
Se tu és minha vida meu sol meu céu meu mar?

O tempo passa só meu corpo não passará
Há que se cristalizar na leveza de formas transparentes
Que o levem eternamente a flutuar!

Amor querido ajuda-me vigia-me
Anota o percurso de meus vôos
E no meu regresso conta-me o rumo que tomei
Dize-me em que astros caminhei!

Toma conta dos meus sentidos
Cuida de minha visão fica atento à luz de meu olhar
É ela que prenuncia a ansiedade que me invade
Ao sentir a proximidade do momento exato de nosso amor!

Vem voar comigo
Olha para mim sorri dá-me tua mão

E transcenderemos em espírito
A celebração do milagre da vida
Na perpetuação de nosso amor bonito...!

Iracema Zanetti

 

Amor Abençoado

Dor de amor não pode ser avaliada
Entre loucura e lucidez a distância é tão pequena
Que a dor passa a doer
Sem pena de machucar-nos!

Envolvidos pela chama poderosa do amor
A vida que caminhava lentamente fez-se brasa
E nos abraça fortemente impelindo-nos para frente
Como guerreiros valentes ao partirem
Para vencer uma batalha!

O amor por si só é pura felicidade
Se cruzarmos com o ser que idealizamos
Nossos castelos de sonhos tornar-se-ão realidade!

O amor age sozinho ainda que os corpos estejam
A mais de mil milhas separados
Se à noite o sono não chega
Esteja certo que é folia das duas almas

Almas parceiras seguem unidas
Não precisam de cuidados
Pois foram escolhidas
Para viverem um amor abençoado!

Iracema Zanetti

 

 

Música: Hijo de la Luna
Composição de José Maria Cano
Intérprete: Sarah Brightman

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®