Glória  Guedes

Sou Glória, moro em Juiz de Fora - MG. Pedagoga, dediquei o meu período de trabalho sempre à educação, tendo exercido, por muito tempo, a função de Diretora de Escola. Aposentada, dividia o meu tempo entre a família, amigos e a informática. E agora estou, dando ênfase muito grande ao curso de Logosofia que foi admitida. Curso que requer muita leitura e muito estudo, razão pela qual não estou muito assídua agora na net.

Sou uma pessoa muito romântica, que se emociona com um pequeno gesto de carinho. Sou sensível, sincera, carinhosa e brincalhona. Sou defensora incansável de qualquer forma de amor e de paz, e nunca hesito em demonstrar os sentimentos que afloram em meu coração.

Amor, para mim, é o sentimento mais lindo que podemos trocar com as pessoas. Deus é meu mestre, meu caminho, é vida enfim. Minha religião, todas que falam de amor a Deus e às pessoas.

Um dos meus sonhos: paz para a humanidade. Apesar de vivermos num mundo tão violento, tenho esperanças de ver o "mundo feliz"... Sabemos que sempre haverá espaço para o amor, para o carinho, para o romantismo, e para a sensibilidade; basta que tenhamos um pouquinho de boa vontade.

Na infância, tive um contato relevante com a poesia, por isso, apesar de não ter o dom de escrevê-las, sou uma admiradora nata.

Poeta quisera Ser


Não para fingir ou enganar,
iludindo, com palavras,
corações que dizem me amar.
Não sou louca nem insana,
desabafo o que vai n'alma.
Um verdadeiro amor não se engana.

Não, não quero ser um poeta fingidor,
quero gritar meu amor,
sem alardes e açoites...
Externar esse lindo sentimento
como o brilho do luar,
que a todos oferece calma
e enfeita as noites.

De minha mão ofereço-te a palma
desse amor em toda plenitude...
O sonhar adoça a vida,
e, com toda a magnitude,
alivia a dor que vai n'alma.

Meu poetar nada tem de louco...
Quero ser uma exceção.
Que de poeta e louco
todos têm um pouco.
Só extravaso minha emoção.

Ou serei verdadeiramente louca,
confundindo a poesia com o real?
Terias por mim falso amor?
De um fingido querer?
Estarei, eu,
sentindo dos teus beijos doces o sabor?
Deixa-me sonhar...

Glória Guedes

 

Canção da Esperança

Esperança...
Da mão que afaga o triste
Do pão que mitiga a fome
Do forte que ajuda o fraco
Da bela generosidade

Esperança...
A vontade que é tamanha
De que a vida só floresça
De que a dor nunca exista
E a alegria se estabeleça

Esperança...
Da amizade verdadeira
Da união plena e sincera
Todos dando-se as mãos
Vendo o amor enfim triunfar

Esperança...
Dos povos cantando em uníssono
A paz, o respeito e a fraternidade
A canção que se espera ouvir
Para que haja um mundo melhor

Glória Guedes

 

Sonhei...

 Sonhei que dançava... e era princesa!
E, no salão imaginário, deixava-me levar...
No calor de seus braços com suave leveza,
Permitia-me, ao sabor da música, levitar...

E recordar a harmonia e docilidade
Dos dias felizes - suave lembrança;
A alegria, simplicidade e afinidade
Nas nossas brincadeiras de criança!

Mas meu príncipe a festa abandonou,
O som cessou, a dança terminou.
No meio do salão, fiquei emudecida...

Risos, vozes de alegria se calaram,
Nossas luzes se apagaram.
Quedei-me com o sonho entristecida...

 

Glória Guedes


http://www.gloriawebsite.com/index.php?pagina=site

 

Música: Ária de Bach

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®