Cecília Carvalho (Cel)

Cigana

Não me olhe assim
com este teu jeito de me olhar
tantas vezes tantas
eu tentei te explicar
eu sou cigana, não pertenço a teu povo
não posso mudar o rumo
só para te agradar
só posso amar meus homens
me castigam se eu te amar
as leis ciganas são duras
foi sempre assim e será
aqui os varões são livres
podem escolher a quem amar
mas nós mulheres no entanto
só com eles podem deitar ...
Por isso meu amado
segue teu rumo, vai embora
não devias ter-se apaixonado
seguirei minha sina mundo afora ...
Levarei você comigo
guardarei no pensamento
lembrarei como um amigo
que me amou por um momento ...
Sou cigana
sigo minhas leis, já está determinado
serei mulher de cigano
entre nós está tudo acabado ...

*Labirintos da Alma*

 

Mar de Sedução

Tenho feito mil planos
quando estou sozinha pensando
chego a criar mil maneiras
e nelas me perco sonhando
pra toda faceira
chegar até você...

Meu olhar percorre o espaço
desejando teu abraço
mergulhar no teu cansaço
beber em tua boca molhada
sufocando apaixonada
toda a minha paixão ...

E me vejo navegando
seduzindo te encantando
este teu corpo fogoso
que me deixa arisca e louca
querendo te amar gostoso
devorar com minha boca ...

Sinto teu corpo e o meu
no vai e vem das ondas
no princípio um remanso
depois se transformando
num imenso furacão
ambos loucos de tesão ...

E depois da tempestade
vejo você me abraçando
para teu lado puxando
qual onda morrendo na praia
sou teu mar de sedução
te amo louca de paixão ...

*Labirintos da Alma*

 

Alma de poeta

A alma do poeta é nua
é pura, desnuda-se do mal
é pássaro sem ninho
criança buscando carinho
não existe nada igual ...
Tem que estar livre
solta dos grilhões da vida
voar qual pássaro perdido
mergulhar em mares profundos
sentir-se fora do mundo ...
Alma de poeta é brisa
solta, névoa despercebida
sabe passar e tocar de leve
deixando sensação de carinho
leva com ela a própria vida ...
Alma de poeta é choro
banha-se com as próprias lágrimas
rega sentimentos doídos
que leva dentro de si ...
Alma de poeta é triste
é sofrimento, é dor
jamais consegue sorrir
vive buscando na vida
encontrar seu grande amor...
Alma de poeta deita-se em versos
faz seu leito de dormir
cobre-se com o manto da noite
se aquece e se alimenta de sonhos
na esperança de um dia sorrir ...

*Labirintos da Alma*

 

http://www.encantoearte.com/ceciliacarvalho/ceciliacarvalho.htm

 

 

Música: A little night music, by Enya

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®