Beatriz Kappke

Nome completo: Maria Beatriz Philippsen Kappke.
Nome usado na Net e em trabalhos: Beatriz Kappke.
Profissão: Professora de Ensino Médio, área de Ciências Humanas.
Estado civil: Casada com Edgar Henrique Kappke.
Filhos: 02- Maurício Henrique (28) e Joãozinho (in memorium).
Nascimento: Santo Cristo (Sta Rosa) RS, em 11/10/51.
Residência: Costa Oeste do Paraná, cidade de Medianeira.

A COR DO MEU SONHO!

Meu sonho é multicor:
Viver sempre um grande Amor!
Amor sem servidão
Que não cause dor
E alegre sempre o coração.

Meu sonho é multicor:
Novas portas quero abrir
Se necessário, outras derrubar
E a cada dia descobrir,
nova maneira de existir!

No meu sonho multicor,
Quero qualquer desencanto afastar
Para isso me esmero com ardor
Em meus talentos nunca solapar!

No meu sonho multicor
Não há espaço para mornidão
Nem fuga da surda dor,
Que às vezes atinge meu coração
Mas traz á vida mais valor!

Beatriz Kappke
26/10/04

 

A MULHER IDEAL

A teu lado queres ter
Esta mulher excepcional
Que jamais te faça sofrer
E te traga prazer sensacional.

Pelos quatro cantos do mundo procurei
Esta mulher que tanto desejas
Em vão meus pés cansei
Para auxiliar-te no que mais almejas!

Encontrei a mulher a labutar
Na esperança de um mundo melhor
Que mesmo cansada à noite, se põe a cantar
A mais linda canção de amor!

Encontrei a mulher muito ansiosa
Com as limitações do cotidiano
Porém cheia de ternura e toda prosa
Quando de flores lhe oferecem um ramo.

Encontrei a mulher que consigo traz
As carências da humanidade
Mas que um esforço quase impossível faz
Para superar qualquer dificuldade.

Encontrei a mulher em prantos, risos e inquietação.
Com fé, esperança sonhos e devaneios.
Renúncia, dor e emoção.
Sacrifícios, ternura e receios.

Encontrei esta mulher...Não a Ideal
Somente, a simplesmente “MULHER”
Mas que alijaria do seu viver todo mal
Se contigo por amor a quiseres reter.

Se souberes aquilatar então
O seu verdadeiro e real valor
Com certeza ela terá para ofertar
Um coração para outro coração.

Se puderes enfim abrir-lhe este coração
Com o bisturi suave da emoção.
Terás a teu lado a mulher Ideal
Que te dará um amor total!

Beatriz Kappke
18/02/04


AQUELE ACENO

As palavras morrem na garganta
Os olhos se encontram,
As mãos se aproximam
Uma lágrima rola
O coração pulsa fortemente
querendo impedir que os minutos passem,
que o tempo escasse...
O beijo de despedida foi rápido
O chão parecia se abrir
O cenário era belo...À beira daquele mar
A contemplar-te permaneci
Com o olhar marejado te segui
Voltaste-te uma vez...houve um aceno
De lá...de cá...
Mais alguns passos e a cena se repete
Depois...Depois nada mais...
Tua silhueta cada vez mais se distanciava
Na multidão sumiste...
Olho ao redor...e um grande vazio
Invade todo meu ser
Um pranto, um pasmo...
Minha alma estremece
Compreendi que teu amor
Fez em meu coração
Audaz incursão
Deixando-me reclusa
Na cela desta paixão
Inebriada, porém.
Com a mais pura e doce afeição.

Os dias passam, noites decorrem
Saudade imensa, dor silenciosa
Voz da garganta de quem não esquece
A lembrança de momentos abençoados
Vividos ao lado de um grande amor.
Aceno da mão de quem fica
Pranto a verter dos olhos de quem parte
Levando consigo a esperança
De que a flama deste amor não morrerá jamais !

Beatriz Kappke
Janeiro 2002

 

http://www.beatrizkappke.com/

 

 

Música: Watermark, by Enya

 

 

Voltar Menu

 

Art by Ligi@Tomarchio®