Somente só
Simplesmente eu
Sementes de dor
Surgem em mim
Sugerindo-me fuga
Nas simples semifusas
De uma sinfonia inacabada
Mero sustentáculo da dor
E elas, sempre singelas,
Estas notas tão marcantes
Fazem com que eu sinta na vida
Que da mesma, sustenta-me a leveza,
Seminua de meu jeito simples de ser
Sem que ainda saia de mim
Somente a paixão da arte de viver
Mas, todas as vezes em que penso,
Que só simplesmente estou
Some, instantânea e sinceramente,
Esta algia tão tocante
Deste ser, meu eu desconjuntado,
Que agora está só, apenas só,
E tão só, somente.

Autoria: José Roberto Abib

 

 

*Esta página é um presente de Crys,

a "Formatadora de Sonhos", para José Roberto Abib*

Música: É Primavera

 

Voltar

 

 

 

 

 

Gráfico:Crys