HAI KAIS de Ligi@Tomarchio®



BEIJA-FLOR RETÉM
OURO PÓLEM
DÁDIVA RARA

:::::::

SOBRE O MUNDO
VELEJAR NO MAR
VER SEU FUNDO

:::::::

SOL FRIO
RECOLHE SILÊNCIO
NAS ÁGUAS DO RIO

:::::::

FRESTA ESCURA
RETÉM ASAS ENRUGADAS
NA RETINA DO TEMPO

:::::::

CORDAS AO VENTO
LINHAS TRÊMULAS
PENSAMENTO

:::::::

NA CLAUSURA ETÉREA
A MÚSICA SE DISSIPA
RECOLHE SILÊNCIO

:::::::

ADOÇADO O AMARGOR
PRUDÊNCIA NA EXISTÊNCIA
APREENDA O SABOR

:::::::

FRESTA:
OLHAR ONDULANDO
NO FRESCOR DA PAISAGEM

:::::::

PAINEIRA
A paina, planando
roçar orelhas e ouvidos
silêncio outonal.

:::::::

CRISTA-DE-GALO
Na crista-de-galo
olhar... êxtase fatal
do reflexo na lagoa...

:::::::

CAFÉ
Os frutos do pé
negros, mas antes vermelhos
agora sabor.

:::::::

DIA DO TRABALHO
Sonolência atroz
uma invasora implacável:
"Dia do Trabalho".

:::::::

PÁSCOA
Consumismo só:
sabores de chocolate
a Páscoa esquecida...

:::::::

PRIMAVERA
Brota flor na rocha
qual tocha ilumina vãos.
Será primavera?

:::::::

POLUIÇÃO
Manto negro encobre
tristes vidas, sofrimento.
Poluição dos tempos...

:::::::

PAINEIRA
A paineira chora
sobre corpo inerte, frutos:
réquiem dos deuses.

:::::::

PAINEIRA
Sob uma paineira
jaz corpo inerte entre painas:
um sopro de vida.

:::::::

PAINEIRA
A paineira chora
sobre corpo inerte, as painas:
último suspiro.

:::::::

CAMÉLIA
A camélia branca
imita rosa perfeita
sem perfume, espinhos...

:::::::

CAMÉLIA
Sem perfume, espinhos
imita a rosa perfeita:
a camélia branca.

:::::::

CAMÉLIA
Sem perfume, espinhos
como rosa no jardim
eis camélia branca.

:::::::

POLUIÇÃO
Manto negro encobre
tristes vidas, sofrimento.
Poluição dos tempos...
 

 

Música: Ária de Bach

 

 

Voltar Menu

 

Editado por Ligi@Tomarchio®