HOMENAGEM  AO

 GRANDE  MÚSICO

 BRASILEIRO

ALTAMIRO CARRILHO

 

21/12/1924 - 15/08/2012

 

 Altamiro Carrilho no Festival do Choro do Rio de Janeiro - 2004

 *Foto de Lúcia Romano*

CONHEÇAM UM POUCO DE

 

ALTAMIRO CARRILHO

 


63 anos de carreira, mais de 100 gravações em discos, fitas e CD.
Formou seu primeiro conjunto em 1952. Teve um programa na TV Tupi, em horário nobre, época em que gravou o famoso maxixe "Rio Antigo" (de sua autoria) e sua consagração no Brasil inteiro foi imediata.
Em 1963 excursionou pela Europa. Na antiga União Soviética, foi aplaudido de pé e considerado o melhor solista de flautim do mundo!
O concerto de Mozart (Concerto em Sol), com o qual se apresentou no teatro Municipal do Rio de Janeiro, com cadências de sua autoria, foi um sucesso total.
Apresentou-se no Chile, Bermudas, Estados Unidos da América, Japão, Israel, Rússia, México, entre outros países.
Ganhou o Prêmio Sharp de 1997 como melhor CD instrumental com o seu "Flauta Maravilhosa".
Criador do CD "Chorinhos Didáticos", onde o aluno aprende ouvindo, tocando com playback e lendo as partituras anexas ao CD.
Atualmente apresenta-se com seu conjunto de choro por diversas cidades brasileiras com sucesso absoluto, num show alegre, descontraído, delicioso, em que conta algumas histórias da música popular brasileira, também incluindo em seu repertório arranjos de música clássica em ritmos brasileiros. Também se apresenta com orquestras sinfônicas por todo o território nacional e internacional, exercitando assim o seu lado erudito.
Recebeu em 1998 uma Comenda especial, a Ordem do Mérito Cultural, em reconhecimento ao seu talento e sua incansável luta pela Música Brasileira, das mãos do Presidente da República.
Mais tarde recebeu também a Comenda da Ordem do Mérito Cultural da Magistratura.
Compositor de versatilidade extraordinária compôs cerca de 200 músicas dos mais variados ritmos e estilos.
Enfim, é um gênio vivo e um grande exemplo de perseverança, amor pelo instrumento e à música - dom de Deus, que lhe permite transmitir ao público: alegria e amor.
Atualmente estão sendo relançados 3 novos CDs, já à venda nas melhores lojas do Brasil: "Clássicos em Choro Vol.II", "Altamiro Carrilho Série Milenium", "Altamiro Carrilho - Rio Antigo e Choros Imortais (2 em 1)" e os novos CDs independentes "Simplesmente Música" - um sonho realizado, no qual interpreta repertório variado, de choros de sua autoria às coletâneas de músicas típicas de vários países e arranjos feitos com a marca registrada de Altamiro Carrilho. E o Cd "Música, Graça de Deus" - mais um sonho realizado: tocar para Deus e para os homens. Os Cds independentes estão à venda no site e nos postos de venda no Rio de Janeiro.
Apresenta o Programa "Altamiro Carrilho e Amigos", com sua filha Marina Fairth, na rádio MEC AM às terças-feiras e em reprise aos sábados às 17 horas respectivamente que pode ser ouvido em todo o Brasil pelo site: http://www.radiomec.com.br/. Completou 80 anos de idade

aos 21 de dezembro de 2004 em plena atividade artística, tendo participado de Festivais de Choro. Continua sua caminhada artística em shows e palestras.
Altamiro Carrilho e seu conjunto: Violão de 7 cordas, Cavaquinho e Percussão.
Home Page: www.altamirocarrilho.com.br

 

 

*Texto cedido por Marina Fairth*

FLAUTA

Dedicado à Altamiro Carrilho

Ligi@Tomarchio®

Mágica, solene
flauta penetrante
ousa lânguida
na fundura do ser
realizar sonhos celestiais
transcende, carregada de paz
saltitando sons universais
perenes, imortal
deleite dos deuses
prazer do cosmo que a sente.

Seu brilho reluz anseios
requer saber ouvir
retém o fôlego fugaz
do ser em êxtase
refletindo emoções contidas
desnudando egos reprimidos.

Flauta solene e mágica
traga a paz
devolva esperança
conserve sabedoria.

Mágica, lânguida e fugaz
troveje pela última vez
ilumine com relâmpagos
o âmago inocente
carente, sedento de poesia.

*Poema do livro "Retendo Imagens" de Ligi@Tomarchio®*

** Na manhã de 15 de agosto de 2012, nosso querido e grande músico Altamiro Carrilho nos deixa para viver e tocar sua flauta mágica com os Anjos! Saudades!...

Ligi@Tomarchio®

 

Homenagem da Produção do Festival do Choro do Rio de Janeiro por ocasião do 80º Aniversário de Altamiro Carrilho - 21/12/2004

 *Foto de Lúcia Romano*

 

 

 ALTAMIRO OITENTÃO
Artur da Távola


A flauta flauteia, porém não falta. “Flautamiro” jamais descarrila. Já o Altamiro, Carrilho. Vive na flauta? Não! A flauta vive nele, desde menino. Ela o escolheu para escravo, sem saber que era poeta, e fez do som alguns dos versos mais bonitos da música do Brasil. Nada lhe “flauta”: alegria, talento, saúde, disposição, condições física para aquele sopro divino, ora alegre como a passarada, ou nostálgico como a saudade. Altamiro é masculino de alta mira. Altamira, lugar sempre superior de onde se descortina o vale, o campo, as demais montanhas. O som de sua flauta percorre céus e terras, as brasileiras, inteiras, e muito mundo afora, onde é considerado dos maiores flautistas do século XX.

Altamiro fez “oitentanos” em fins de 2004, durante os quais produziu oito milhões de notas em mais de sessenta de profissão. Levou alegria aos telespectadores antigos, com a Bandinha do Altamiro, prazer dos telespectadores nos quase esquecidos sábados da já saudosa TV TUPI. Solou, acompanhou, fez arranjos, compôs, orientou, gravou em fitas cursos vários de flauta, tocou em regionais, teve o sol de seu som, teve o sul, teve o centro, teve o norte, o nordeste e o centro-oeste na sonoridade variada de sua flauta, do seu flautim e flauta de lata da infância. Tem irmão flautista e sobrinhos músicos de primeira.

Do meio da sonoridade média emerge um som agudo, mas doce: é a flauta do Altamiro. De ninguém fala mal. Incentiva colegas, ajuda os novos, conhece gerações de gêneros, estilos e intérpretes em sessenta anos de carreira. Ganhou uma linda homenagem da Rádio MEC semana passada, à qual, entristecido, não pude comparecer. Só deu para ouvir de casa, emocionado... Altamiro é sabiá, é “syrinx”, é pã, é “calamus”, é “siringa araucana”, “siringa monocálamos” no Egito, é “sódina” em Madagascar, é sanhaço, coleiro, cambaxirra e colibri. Altamiro é o Mozart da flauta, espírito e inocência de alma na cultura adulta. Altamiro é Brasil dos músicos anônimos do interior; das esquinas boêmias; dos bailaricos; dos forrós; das festas de formatura de antigamente, a moçada de smoking; dos músicos clássicos dos grandes concertos. Buliçoso no choro, sentimental nas valsas, virtuoso nos galopes, nostálgico nas serestas, do balacobaco nos sambas, histórico no corta-jaca, no xote e no tango brasileiro, chorão entre chorões, chorinho entre “chorinheiros”, erudito entre os clássicos, Altamiro é Brasil, alma viva de nosso País, intérprete de sua musicalidade, expressão de sua cultura.

Altamiro. “Flautamiro”! Nos seus oitenta anos, como dizia o saudoso Paulo Roberto nos inesquecíveis programas da antiga (e renascente) Rádio Nacional: “VOCÊ É.... GENTE QUE BRILHA”.

Artur da Távola

 

*Texto enviado por Marina Fairth*

 

 

Altamiro Carrilho e sua filha Marina numa praça em São Paulo

*Foto cedida por Marina Fairth*

 

BRASILEIRO ALTAMIRO CARRILHO
MARINA FAIRTH

Que bom que tenha nascido brasileiro!
E que sua missão fosse a de sempre estar
à frente de todos os passos
que fariam de nossa música
obra de arte de valor incalculável!

Embora seja simples seu modo de se apresentar,
torna tudo aquilo que concebe em realidade.
Faz da sonata um choro leve;
do samba uma festa!
Dos hinos uma euforia,
do maxixe fantasia!
E dos clássicos ... uma ode à eterna esperança
vestindo-se de criança
brincando com o Carinhoso em forma de sinfonia!

Que prodígio é este menino!
60 anos brincando de fazer música:
compondo, executando com magistral beleza,
deixando que sua natureza
se manifeste em seu som
tirado da flauta e do flautim,
fazendo um grande festim
das bodas da harmonia com o brilho do artista!

Altamiro – Brasileiro Carrilho!
Que fala a linguagem universal,
porém única em seu particular sonho criativo,
tornando-se mito em sua terra e nas terras de além-mar!

Altamiro, com orgulho ofereço
esta página que é minha,
que reflete o meu carinho,
minha honra em ter nascido uma filha
do brasileiro Altamiro!

Deus te abençoe, meu pai,
pelo muito que tem feito,
por ter tirado proveito
do dom sagrado que Deus lhe deu.
E por estar cumprindo honrosamente sua missão neste mundo:
Fazer brilhar a Luz de Deus através de sua música!


*Poema do livro "Sentimentos" de Marina Fairth*

 

Agradeço a querida amiga Marina, por tornar possível esta singela homenagem que presto ao grande brasileiro e músico Altamiro Carrilho, por quem nutro grande admiração e carinho.

 

Ligi@Tomarchio®

Dezembro de 2004

 

 

21 de dezembro de 2005

 ANIVERSÁRIO DE ALTAMIRO CARRILHO

 

Desejo repartir com vocês estas palavras carinhosas do meu amigo Diogo Romeiro, jovem brilhante que cuida do meu website gratuitamente e prepara um novo para 2006. Não sei se mereço estas palavras que Diogo me ofereceu, mas que Deus possa fazer de mim alguém digno delas.
ALTAMIRO CARRILHO.



Ao Mestre, com carinho...neste 21/12/2005
Diogo Lisbona Romeiro


Escrevo-lhe para parabenizá-lo pelos seus 81 anos de vida neste 21/12/2005! Uma longa jornada repleta de talento e felicidade, que certamente ainda reserva-lhe longos e duradouros anos, cheios de luz, paz, saúde e muita música (é claro).

Quero transmitir-lhe o orgulho e o carinho que sinto por sua amizade. Um amigo que guardo em meu peito, que admiro, zelo e quero sempre bem. Se o abismo de idade é grande, maior é o respeito, a admiração e fraternidade que cultivo. Embora não tenhamos um convívio estreito, sinto-me suficientemente próximo para dizer-te o quanto me surpreende. A cada show e apresentação que faz pelo Brasil afora, a cada gesto de solidariedade, a cada ato de carinho e compaixão por todos e por tudo, nos compõe (com Choro e alegria!) um legado de humanidade, cidadania e responsabilidade. És um exemplo a ser seguido e respeitado, que com toda sua benevolência semeia ensinamentos, felicidade e esperança a todos nós. Muito mais do que uma lenda viva ou do que um patrimônio cultural a ser reverenciado em todo o mundo, o Mestre Altamiro é uma lição de vida – que me enche os olhos quando revela que a música pode lenir as iniqüidades desse mundo perverso e reunir os povos, abrindo um diálogo entre as diversas culturas (uma espécie de ‘globalização fraternal’, que certamente está porvir).

Quantas gerações de músicos e admiradores não o tem como um ícone da nossa música? Quantos não o consideram um dos maiores flautistas do mundo? Decerto não há exageros... Embora conviva – ou melhor, sobreviva – com um cenário nacional deprimente e precário, que confere à música instrumental um papel coadjuvante (onde as gravadoras, as rádios e os demais meios de comunicação não abrem espaço para esta suposta ‘música sem mercado’, quando na realidade é a oferta de alta qualidade que cria a demanda de alta qualidade), nunca deixará de ser admirado pelas novas gerações e cultivado pelos grandes chorões. Siga em frente, companheiro!! Agradecemos por ter tornado um dom em uma bênção e por ter sempre em mãos, em formato de flauta, a bandeira erguida da vida; e por tornar constante o brado, em forma de sopro, pela justiça, paz e felicidade.

Reitero minha total e completa disposição e compromisso em ajudá-lo no que for preciso e necessário e minha eterna amizade. Com grande carinho e gratidão do sempre amigo,

Diogo Lisbona Romeiro

 

 

 

 21 de Dezembro de 2006, o poeta Jorge Linhaça, escreve um poema (cordel), para Altamiro Carrilho!

 

 

O MAGO DA FLAUTA (cordel)
Jorge Linhaça

Do instrumento transversal
sete notas voam em magia
em uma harmonia sem igual
que a todos nós contagia
na magia mais pura afinal,
na mais suave melodia

Esse é o menino Altamiro
que aprendeu com um carteiro
os rudimentos do seu estilo
e as peças do cancioneiro
mas era pouco para Carrilho
o saber queria por inteiro.

As introduções improvisadas
davam leveza à execução
nas rodas de choro garimpadas
aumentando inda mais a paixão
pela música, sempre amada
tocada com primor e emoção

O menino ganhou o mundo
para se esmerar nos arranjos
com um flautear profundo
parecendo tocar com os anjos
em um repertório fecundo
construído por muitos anos

Vai do popular ao erudito
dos regionais às orquestras
com o seu flautear contrito
o coração sempre em festa
não ficando jamais restrito
usando de suas minestras

Existem os bons flautistas
e existe Altamiro Carrilho
o maior de todos solistas
com incomparável brilho
merecedor de suas conquistas,
esse nosso rei do chorinho.

Parabéns, mago da flauta,
tua vida é um exemplo,
és um musical argonauta
tocando nas asas do vento
as notas de iluminada pauta
musicando o firmamento.

Aceite aqui esta homenagem
num cordel de pé quebrado
revesti-me de coragem
para mandar este recado
embarcando na carruagem
do teu Odeon flauteado.

Vou saindo de mansinho
o cordel já se acabou
foi feito com muito carinho
não sei se você aprovou
mas eu agora passarinho
muito mais feliz estou.



"Eu gosto muito de improvisar! Não toco uma frase repetida, cada vez que eu toco é uma frase diferente."
Altamiro Carrilho

 

*Fonte de pesquisa: Site oficial de Altamiro Carrilho*

Jorge Linhaça

 

Poesia para meu tio Altamiro Carrilho.
Lenira Maria Carrilho Cruz Ramos

 


*Lenira e Altamiro*


A Flauta Encantada

Lenira Carrilho

Menino dengoso só dorme no carro,
Papai dá uma volta eu durmo num estalo!
Na noite que cai, suave se embala.
No colo gostoso adormece e se cala,

Bambu vira flauta, menino se apressa,
Ouvido acordes! Altamiro desperta!
O menino se foi, Não é aprendiz,
Famoso já é, o povo é quem diz.

Ao ritmo do pé, a flauta soprando vai,
O povo se encanta, como o tico-tico e os pardais,
Que na alvorada o seguem com encanto e saem pela estrada.
Qual nada! É a flauta encantada que engana a passarada!

Altamiro flauteando,
Segue, inspirando corações,
Que choram um chorinho, tocando,
Em notas, pautas e bordões.

Ao som dos aplausos Altamiro vai,
Ao Brasil, ao mundo entoar,
Com o coração forte, como de um pai,
Um sopro suave, que só ele sabe soprar!!

Lenira Carrilho

Ano de 2007

 

 

*Música: BEMBRA

Autoria: Altamiro Carrilho

Interpretação: Altamiro Carrilho e seu Conjunto.

 

 

 

Voltar Menu

 

 

 

 

 

Art by Ligi@Tomarchio®